PESQUISA

Páginas

População pede investimento para a segurança pública e infraestrutura em audiência pública do Orçamento 2022, em São José do Rio Preto

 

População pede investimento para a segurança pública e infraestrutura em audiência pública do Orçamento 2022, em São José do Rio Preto

Causa animal, turismo e saúde também estiveram entre as demandas apresentadas no evento

Karina Freitas


Pautas voltadas à segurança pública e infraestrutura foram as principais levantadas pela população de São José do Rio Preto na vigésima terceira audiência pública do Orçamento de 2022 realizada pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo nesta sexta-feira (1°/10), na Câmara de Vereadores da cidade. A reunião foi presidida pelo deputado Dirceu Dalben (PL), vice-presidente da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento.

O presidente do colegiado, deputado Gilmaci Santos (Republicanos), também esteve presente, junto com o deputado Enio Tatto (PT).

No início do evento, Gilmaci afirmou que a participação popular é essencial nessas audiências. "Essa audiência pública é para isso. Nós queremos ouvir vocês, ouvir a população, ouvir as lideranças, ouvir as pessoas que realmente conhecem as necessidades da sua cidade".

Abrindo a participação popular, o vereador de São José do Rio Preto Jean Charles Serbeto falou sobre o salário dos policiais militares. Ele comparou a remuneração dos servidores paulistas com a de vários Estados do país. "Eu gostaria de deixar registrada a nossa preocupação e a importância de a Assembleia Legislativa colaborar e contribuir para que haja reposição salarial, que não acontece há alguns anos", disse.

O segundo-tenente da Polícia Militar Paulo Pires também pediu atenção para os direitos da PM. "O nosso salário da maneira que vem, o terceiro pior salário do Brasil, não nos possibilita ter segurança. Muitos policiais não têm lugar digno para morar e não têm uma assistência médica", afirmou.

Eliandra Aritéia de Nóbrega Mazali, presidente da Câmara Municipal de Urupês, pediu a manutenção da rodovia Roberto Mario Perosa. De acordo com Eliandra, existe um número muito grande de acidentes na região. "Nós estamos aqui para reivindicar isso, para que seja colocado no orçamento e seja olhado com bons olhos", declarou.

A presidente da Câmara Municipal de Ibirá, vereadora Sônia Palma, falou sobre a rodovia SP - 379, que, segundo ela, tem levado muitos transtornos para a região, por não ter sido finalizada. "Nós não temos rotatórias, nós temos somente trevos e os trevos são muito perigosos", justificou.

Integrante do Conselho Municipal de Turismo do município, Maria Eugenia, que também é artesã, afirmou que existe uma preocupação com o emprego relacionado a área do turismo. Ela sugeriu um projeto de incentivo à gastronomia local. "Entendemos que no turismo emprega-se em todos os segmentos. Assim sendo, trouxe uma proposta de uma incubadora. Se alcançarmos esse objetivo, será de grande valor e muito bem aproveitado, pois daremos as condições para as pessoas ligadas à gastronomia desenvolverem um produto artesanal que levará o nome de nosso município e, assim, resgatar receitas de nossos antigos moradores", disse.

O vereador de Guapiaçu William Rocha pediu um centro cirúrgico para animais no município. "Guapiaçu hoje necessita desse auxílio. A gente vive ali uma precariedade na questão da causa animal, estamos buscando de todos os meios, e os animais ainda precisam de um amparo maior", afirmou.

O prefeito de Guarani d' Oeste, Nilson Café, falou sobre recursos para a saúde. "Poderiam pôr no orçamento um dinheiro direto para que os municípios de pequeno porte possam adquirir aparelhos de ultrassonografia, que são muito modernos e nos atenderiam. Isso economizaria muito e traria um conforto melhor às grávidas da cidade", afirmou

A representante da Associação de Pais, Amigos e Pessoas com Deficiência, de Funcionários do Banco do Brasil e da Comunidade (Apabb), Maria Alice de Oliveira, pediu apoio para que a entidade possa continuar ajudando pessoas, através do empréstimo de equipamentos que as auxiliam. "Precisamos da ajuda do governo. A gente já recebe um aporte financeiro da prefeitura, mas não é suficiente", lamentou.

O vice-prefeito de São José do Rio Preto, Orlando Bolçone, reforçou a necessidade de continuar investindo em ciência, tecnologia e inovação. "São José do Rio Preto, em especial, hoje faz pesquisas de dengue, faz diversas pesquisas com relação à Covid. Aqui nós temos centros de desenvolvimentos. Por tanto, esses investimentos é que vão dar condição de respostas rápidas às questões como em casos de doença", afirmou.

O deputado Enio Tatto falou sobre o combate à violência contra a mulher. Ele afirmou que não faz sentido a delegacia da mulher não funcionar 24h por dia. "O agressor não tem hora para agredir, ele não agride a mulher só até as 18h, ele agride a noite e no fim de semana também", pontuou. O parlamentar disse ainda que é necessário um centro para acolher as vítimas.

Já o deputado Dirceu Dalben enfatizou as melhorias que já estão em andamento pelo Estado. Ele afirmou que não é necessário esperar o próximo orçamento para que elas sejam feitas. Dalben citou investimentos em estradas e vicinais que estão sendo aplicados. "Isso é a realidade, já está acontecendo. É o apoio da Alesp. Nós, representantes do Poder Legislativo, temos a nossa participação ao ajudar a aprovar projetos para que esses recursos possam ser aplicados".