Pesquisar

13 de dez. de 2021

Livro mostra genocídio armênio como gênese de massacres atuais

 

Livro mostra genocídio armênio como gênese de massacres atuais
Obra conta como impunidade do primeiro crime contra humanidade do século 20 foi protótipo do Holocausto


A Editora da Universidade de São Paulo (Edusp) lança neste mês o livro "Genocídio Armênio:
Protótipo do Genocídio dos Tempos Modernos" (392 páginas), organizado pelas professoras Maria Luiza Tucci Carneiro e Lusine Yeghiazaryan. A publicação é resultado de um seminário internacional promovido em 2010 na USP, que abordou, entre outros temas, como o massacre desse povo pelo governo do Império Turco-otomano na 1ª Guerra Mundial pode ser definido como um protótipo do que ocorreu com os judeus no conflito seguinte e como a "gênese do genocídio moderno", por ainda se repetir em pleno século 21

Não são poucas as notícias internacionais nos últimos anos relacionadas à intolerância, ao extremismo, às migrações forçadas, às perseguições e aos extermínios em massa de determinados grupos étnicos e povos. Segundo os acadêmicos e autores dos estudos publicados no livro, a luta contra novos genocídios permanece como um dos maiores desafios no mundo. Eles lembram que não há até hoje mecanismos eficazes para prevenir massacres do tipo.
As caravanas de morte a partir de 1915 dizimaram mais de 1,5 milhão de armênios, ou dois terços da população da etnia que vivia sob o Império Turco-otomano. Muitos foram massacrados onde moravam, em marchas forçadas em direção a regiões desérticas da Síria e em campos de concentração

Porém, esse genocídio segue impune e, por interesses político-econômicos, não é reconhecido pela Turquia, nem por muitas nações ditas civilizadas. Da mesma forma, não houve reparação por parte do estado turco, o que justifica que uma das prioridades da política externa da Armênia seja a criação de freios para esses massacres étnicos no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU), com o debate sobre as motivações, as formas como ocorrem e as consequências duradouras mesmo para as gerações seguintes

O livro "Genocídio Armênio: O Protótipo de Genocídio dos Tempos Modernos" é homônimo do seminário internacional sobre os 95 anos do massacre, organizado pela USP, com a colaboração de entidades nacionais, do Consulado-geral Honorário da República da Armênia em São Paulo e do Zoryan Institute do Canadá. Os textos são artigos ou estudos de acadêmicos e personalidades de países como Brasil, Canadá, Estados Unidos, Armênia e até da Turquia, que participaram do evento.

Organizadoras do livro
Maria Luiza Tucci Carneiro é historiadora, professora do Departamento de História e coordenadora do Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. Já Lusine Yeghiazaryan é docente e coordenadora da área de Língua e Literatura Armênia da FFLCH da USP, onde também coordena um projeto temático sobre os armênios no Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação.
Ex-Libris Comunicação Integrada

Caio Prates - caio@libris.com.br - (11) 99911-2151
Murilo do Carmo - murilo@clipclap.com.br - (11) 97123-4167

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CMC, CIDADE DE MARÍLIA