Pesquisar

15 de dez. de 2021

Perspectivas para a educação em 2022

 Perspectivas para a educação em 2022: ensino remoto seguirá presente na maioria das escolas brasileiras, afirma especialista


A lenta retomada das aulas presenciais nas escolas e universidades brasileiras em diversos estados, tem estimulado que muitos recursos adotados durante o ensino remoto - ampliado pela pandemia - passem a incorporar o currículo escolar em 2022, tornando o ensino híbrido uma realidade. É o que avalia o especialista internacional em educação e tecnologia Alfredo Freitas que é diretor da universidade americana - Ambra University e tem 15 anos de experiência.

A nova cepa do corona vírus, Ômicron, descoberta neste fim de ano jogou ‘água fria’ no retorno absoluto ao ensino presencial no Brasil e no mundo. É o que afirma o especialista em educação e tecnologia Alfredo Freitas. Para o expert, o orçamento Federal que está em análise e deve ser aprovado no Congresso esta semana, deveria prever verba maior para a educação considerando o atual cenário de hibridização do ensino.

"Plataformas digitais, aplicativos e games educacionais que foram incorporados pelas escolas e universidades com o ensino remoto, durante a pandemia, devem seguir sendo utilizados no ano que vem. Precisamos conectar as escolas com internet banda larga e prever que o retorno ao ensino presencial como conhecíamos não deverá ocorrer no próximo ano", afirma Alfredo Freitas.

5G: Educação Híbrida e Conectada

Pesquisa recente com Dirigentes Municipais de Educação em todo Brasil, em mais de 4.472 municípios do país mostrou que 96% destes municípios (77% do total), já aplicam recursos do ensino remoto para ajudar na recomposição pedagógica do ensino durante a Pandemia. O ensino online salvou o ano letivo de 2020, 2021 e seguirá auxiliando na formação escolar em 2022, explica Alfredo Freitas. Para ele, o ensino via internet foi o responsável pela não perda do total do ano letivo durante a pandemia.

"A internet 5G no Brasil deverá facilitar a hibridização do ensino no país. A expectativa é de que ela ofereça aos usuários uma cobertura mais eficiente e ampla. A inovação tecnológica aliada com a popularização da internet possibilitará uma verdadeira revolução na educação do Brasil. As possibilidades metodológicas para o ensino via internet serão inúmeras. Com maior velocidade os professores terão mais recursos para ensinar os estudantes, que por sua vez, terão mais agilidade e possibilidades para aprender", afirma o especialista.

"Recursos como videoaulas gravadas, plataformas online para interação, aulas online e ao vivo, além de outras ferramentas online estão ajudando as escolas e universidades brasileiras a manter a qualidade do ensino durante o período de pandemia quando não podíamos ter aulas presenciais. O ensino via internet é irreversível, inclusive por que já está se adaptando às salas de aula", explica Freitas.
*Alfredo Freitas é pós-graduado em 'Project Management' pela Sheridan College no Canadá, graduado em Engenharia de Controle e Automação e Mestre em Ciências, Automação e Sistemas, pela Universidade de Brasília. O renomado profissional tem mais de 15 anos de experiência em Tecnologia e Educação. É atualmente Diretor de Educação e Tecnologia da Ambra University. A Universidade americana é credenciada e tem cursos reconhecidos pelo Florida Department of Education (Departamento de Educação da Flórida) sob o registro CIE-4001. Além disso, a universidade conta com histórico de revalidação de diplomas no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CMC, CIDADE DE MARÍLIA