Pesquisar este blog

Pedagogia de projetos



01- O trabalho por projetos contribui de forma significativa para a educação nesse mundo atual, indo ao encontro das exigências da sociedade moderna, pois o trabalho por projetos envolve um processo de construção, participação, cooperação, noções de valor humano, solidariedade, respeito mútuo, tolerância e formação da cidadania tão necessários à sociedade emergente (Moura, 2010). Segundo a autora, a pedagogia de projetos é a construção de uma prática pedagógica centrada



(A) em conteúdos escolares práticos e cotidianos.

(B) em um método funcional e eficiente.

(C) em uma técnica atraente para transmissão dos conteúdos.

(D) em uma metodologia pragmática e democrática.

(E) na formação global dos alunos.





02- Lúcia Flávia é professora de educação básica I e pretende que a escola em que atua desperte para a necessidade de um trabalho menos isolado e fragmentado entre os educadores. Na linha de Moura (2010), a professora entende que “a proposta do trabalho por projetos deve estar fundamentada numa concepção do educando como sujeito de direitos, ser social e histórico, participante ativo no processo de construção de conhecimentos”. A autora estabelece uma comparação entre construtivismo e pedagogia de projetos. Para Moura (2010), ambos



(A) se diferenciam, pois o primeiro é voltado para a construção do conhecimento pelo aluno, e a segunda, para troca de experiências entre educador e educando.


(B) se diferenciam, pois o primeiro busca partir dos interesses dos envolvidos no processo, enquanto a segunda considera a realidade em que estes estão inseridos, o que ocasiona motivação e satisfação em aprender.


(C) são métodos que buscam desenvolver uma técnica atraente para transmissão dos conteúdos de modo a promover uma mudança na maneira de pensar e repensar a escola e o currículo.


(D) têm em comum a insatisfação com um sistema educacional que teima em continuar uma forma particular de transmissão que consiste em fazer repetir, recitar, aprender, ensinar o que já está pronto.



(E) se diferenciam, pois enquanto o primeiro favorece o processo de assimilação, a segunda oferece desafios que fazem os alunos avançar, atingindo o processo de equilibração/desequilibração.






03- Moura (2010) apresenta um meio de trabalho pertinente ao processo de ensino-aprendizagem que se insere na Educação, promovendo-a de maneira significativa e compartilhada, auxiliando na formação integral dos indivíduos permeado pelas diversas oportunidades de aprendizagem conceitual, atitudinal, procedimental. Esse meio de trabalho é



(A) o construtivismo.


(B) a aprendizagem conceitual.


(C) a formação globalizada.


(D) a pedagogia de projetos.


(E) a interdisciplinaridade.




04- De acordo com Moura (2010), o trabalho por projetos pode ser dividido em quatro etapas, que são problematização, desenvolvimento, aplicação e avaliação. Sobre essas etapas, é correto afirmar que


(A) a avaliação é o momento em que se criam as estratégias para buscar respostas às questões e hipóteses levantadas pelos alunos.

(B) o desenvolvimento dá ao educando a oportunidade de se colocar como sujeito ativo e transformador do seu espaço de vivência e convivência.

(C) o desenvolvimento tem, para o educador, uma dimensão diagnóstica, investigativa e processual.

(D) a aplicação é o momento em que o educador interpreta a manifestação dos alunos para perceber em que ponto estão.

(E) a problematização é a etapa em que é fundamental detectar o que os alunos já sabem, o que querem saber e como poderão saber.




05- Moura destaca que a Pedagogia de Projetos é a construção de uma prática pedagógica centrada na formação global dos alunos. Ao descrever os princípios que norteiam essa prática, a autora aponta que


(A) a escolha do tema e dos conteúdos a serem trabalhados é de responsabilidade do professor e deve ser pensada de forma a contemplar a realidade do educando.

(B) o registro (a escrita, o desenho, os gráficos, mapas, relatórios, a reunião de materiais etc.) é uma prática fundamental no trabalho com Projetos e deve ser desenvolvida ao final do processo.

(C) a avaliação na Pedagogia de Projetos é pontual, ou seja, considera o resultado, expresso na forma de um produto, enfatizando a verificação da finalização do que foi proposto.

(D) os alunos devem ser colocados em situações que os levem a reproduzir uma experiência realizada em outro contexto, possibilitando que eles verifiquem a chance de recriar experimentos.

(E) para o aluno, a avaliação é instrumento indispensávelao desenvolvimento da capacidade de aprendera aprender por meio do reconhecimento das suas possibilidades e limites.








6) Segundo Moura (2010), a Pedagogia de Projetos busca ressignificar a escola dentro da realidade contemporânea, transformando-a em um espaço significativo de aprendizagem para todos que dela fazem parte, sem perder de vista a realidade cultural dos envolvidos no processo. O trabalho por Projetos pode ser dividido em 4 etapas: problematização, desenvolvimento, aplicação e avaliação. Segundo o autor, na etapa da aplicação,

A) o educando tem a oportunidade de se colocar como sujeito ativo e transformador do seu espaço de vivência e convivência.

B) os alunos e o professor definem as estratégias para buscar respostas às questões e hipóteses levantadas na problematização.

C) os alunos assumem a responsabilidade pela escolha do tema e dos conteúdos a serem trabalhados e expressam suas ideias e conhecimentos sobre eles.

D) quantidade de conhecimentos aprendidos pelos educandos no processo de ensino-aprendizagem é medida, a fim de que possam ser feitos os ajustes necessários.

E) o educador incentiva a manifestação dos alunos sobre o problema em questão e a interpreta para perceber quais são suas hipóteses de explicação de fatos da realidade.


    


OBSERVAÇÃO   QUESTÃO -06 


Aplicação: estimular a circulação das ideias e a atuação no ambiente da escola ou da comunidade ligada à escola dá ao educando a oportunidade de se colocar como sujeito ativo e transformador do seu espaço de vivência e convivência, por meio da aplicação dos conhecimentos obtidos na execução do projeto na sua realidade.



RESPOSTAS

01 – E    02 – D    03 – D    04 – E     05 – E           06- A



5 medidas para acabar com a retenção de líquido

Viviana Piccinini Fisioterapeuta e a Profissional de Educação Física Vanessa Furstenberger explicam como amenizar o inchaço e retenção hídrica por conta do calor.



 Adeus, inchaço! 5 medidas para acabar com a retenção de líquido


Não é impressão, o inchaço piora no calor, mas, com medidas básicas, dá para aproveitar a estação com menos volume e mais disposição. Confira as dicas da equipe da Fisioterapeuta Especializada em Estética Viviana Piccinini.

Quer coisa mais desconfortável do que o inchaço? O vestidinho, que estava perfeito até a semana passada, não fecha mais; do nada, aparecem bolsas ao redor dos olhos; o tornozelo fica dolorido... O problema piora no verão porque os vasos sanguíneos dilatam e a circulação fica mais devagar - parte da água que compõe o sangue escapa e fica alojada sob a pele, dando origem ao edema.

Mas, dá para combater a retenção hídrica com algumas medidas simples, como as sugeridas pela Fisioterapeuta Estética Viviana Piccinini de São Paulo.

Drenagem linfática, clássico que funciona

Quando o objetivo é desinchar, essa massagem continua insubstituível: estimula a cadeia de gânglios linfáticos para que a circulação não fique congestionada e, assim, ajuda o organismo na liberação natural de toxinas e líqudos. Viviana explica que o segredo está em fazê-la da forma correta, com movimentos delicados. Drenagem linfática não pode deixar hematomas! "Deve ser uma massagem leve sempre no sentido para o centro do corpo". Completa a profissional.

A fisioterapeuta recomenda procurar um profissional qualificado e ficar atento à sutileza dos movimentos.

Hidratar para desinchar

Parece um contrassenso, mas a água diminui a densidade do sangue, combatendo a retenção, e desintoxica. Vale ressaltar: bebidas alcoólicas não contam, nem mesmo a cervejinha gelada. Precisa ser água mineral, água de coco, sucos naturais... ou seja, líquidos que reponham sais minerais e atuam no bom funcionamento do organismo.

Alimentos do bem

Frutas e legumes ricos em água como a melancia, melão, abacaxi, morango, kiwi, pepino, aipo e chuchu, hidratam, melhoram a diurese e ajudam repor nutrientes. Eles devem fazer parte de uma dieta com carbos, proteínas e gordura do bem. Inclua saladas com verduras, legumes, proteínas e porções de frutas na dieta. São escolhas inteligentes, capazes de fornecer energia e garantir o pique, agregando nutrientes de qualidade.

Inimigos declarados

Alimentos ricos em sódio e muito condimentados pioram a retenção líquida, assim como o álcool. Portanto, devem ser evitados.

Mexa-se!

A prática regular de exercício físico melhora a circulação e ajuda a diminuir a retenção líquida - Vanessa Furstenberger profissional de educação física explica que o exercício melhora a circulação linfática, melhora o retorno venoso e ajuda a eliminar o líquido extracelular. As atividades mais recomendadas são as clássicas caminhada, corrida, natação, hidroginástica e musculação.



Viviana Piccinini FISIOTERAPEUTA Crefito 71831


• Graduada pela Universidade Bandeirantes de São Paulo.

• Título de Especialista em Medicina Chinesa & Acupuntura

• Especialista em Ortopedia/Traumatologia e Eletroterapia.

• Residência no Hospital Mandaqui/ Hospital Cachoeirinha e Hospital Geral do Tatuapé.

• Curso de Instrumentação Cirúrgica e Curativos.

• Especialista em Pós cirúrgico de Ortopedia e Plástica.

• Docente de especialização e cursos livres de Pós cirúrgico de plástica e Uso de Knesio Tape



Sobre Vanessa Furstenberger

Vanessa Furstenberger é formada em Educação Física com 20 anos de experiência. Mesmo sendo profissional do esporte sempre sofreu para manter o peso "ideal", Vanessa não tinha equilíbrio na alimentação e chegou a pesar 98 kg, "Minha vida sempre foi um engorda e emagrece." Conta Vanessa. Em 2009 a profissional começou a praticar corrida ao preparar uma aluna para a modalidade, foi neste período que Vanessa realmente enxergou o quão fora do peso estava. Aos 38 anos de idade percebeu que o peso atrapalhava muito pra correr, afinal estava 40kg acima do peso ideal, mas não queria abandonar a profissão. Sempre teve alunos, mas nenhuma personal ou treinadora consegue motiva-los estando fora de peso. Com auxilio de nutricionista e a paixão pela corrida (incentivo principal para mudança) Vanessa começa uma reeducação alimentar aliada a corrida e musculação leve; ao longo de um ano atingiu um percentual de 15.5% de gordura corporal e atualmente busca os 12%. Sem cirurgia e inibidores de apetite. Além disso, o emagrecimento rendeu 5 pódios de provas de corrida: no asfalto (4º lugar), corrida de obstáculos (2º lugar ) e 3 pódios consecutivos em prova de montanha ( 1º lugar por categoria, 3º lugar por categoria e 2º lugar por categoria). "Uma glória para uma ex-obesa que perdeu 40 kg aos 40 anos de idade." Finaliza Vanessa.

Créditos:

Vanessa Furstenberger Fitness Coach

@va.personal

INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA

UPDATE COMUNICAÇÃO