Pesquisar

21 de jan. de 2022

“Risada de porco” pode indicar algum problema de saúde?

Especialista do Hospital Paulista tira dúvidas sobre o tema, que ganhou destaque com participante do BBB

Foto: Divulgação Rede Globo


Você já deve ter passado pela seguinte situação: reunido com amigos, em um momento de descontração, alguém solta aquela risada parecida com um ronco de um porco. O problema, que pode ser divertido para uns e constrangedor para outros, ganhou destaque recentemente, na última edição do reality show Big Brother Brasil, graças à gargalhada bastante característica do participante Eliezer.

 

Questionado pelos colegas da casa, que acharam que o designer estava brincando, o brother explicou que sempre teve a tal “risada de porquinho”, algo que considerava normal.

Mas será que é normal mesmo? O médico Arnaldo Braga Tamiso, otorrinolaringologista do Hospital Paulista, explica o porquê de algumas pessoas riem desse jeito.

 

“A risada com escape de ar pela garganta, como é chamado esse tipo de gargalhada, pode acontecer por diversos motivos. Entre eles a obstrução nasal por algum desvio de septo ou aumento das carnes esponjosas, flacidez ou malformações no palato mole, quando a pessoa não consegue fechar a comunicação da passagem de ar entre a garganta e o nariz”, explica.

 

O problema é grave?

 

De acordo com o especialista, a “risada de porco” não é um problema grave, porém, é necessário atenção, já que existe uma ligação com distúrbios respiratórios, como ronco noturno e/ou apneia de sono, respiração oral associada à dificuldade de praticar esportes e cansaço acima do normal.

 

“Caso o escape de ar esteja associado a quaisquer destas dificuldades respiratórias, deve-se, sim, procurar um otorrino para avaliação.”

 

Tratamentos

 

Apesar de divertida, a risada incomum pode ser desagradável para a pessoa que sofre com o escape de ar pela garganta. Dr. Tamiso ressalta que existem tratamentos e até cirurgias para resolver o problema.

 

Conforme o especialista, apenas por meio de exames específicos é possível chegar à real causa da recirculação de ar. Caso seja um problema anatômico, como desvios de septo e palato curto, os procedimentos cirúrgicos podem ser indicados.

 

“A fonoterapia, em conjunto, feita através de exercícios de fortificação da musculatura, possui ótimos resultados, capazes de acabar com os constrangimentos causados pelas ‘risadas de porquinho’”, finaliza o médico.


Sobre o Hospital Paulista de Otorrinolaringologia

Fundado em 1974, o Hospital Paulista de Otorrinolaringologia, possui mais de 40 anos de tradição no atendimento especializado em ouvido, nariz e garganta e durante sua trajetória, ampliou sua competência para outros segmentos, com destaque para Fonoaudiologia, Alergia Respiratória e Imunologia, Distúrbios do Sono, procedimentos para Cirurgia Cérvico-Facial, bem como Buco Maxilo Facial.

 

Em localização privilegiada, a 300 metros da estação Hospital São Paulo (linha 5-Lilás) e a 800 metros da estação Santa Cruz (linha 1-Azul/linha 5-Lilás), possui 42 leitos, UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 10 salas cirúrgicas, realizando em média, mensalmente, 500 cirurgias, 7.500 consultas no ambulatório e pronto-socorro e, aproximadamente, 1.500 exames especializados.

 

Referência em seu segmento e com alta resolutividade, conta com um completo Centro de Medicina Diagnóstica em Otorrinolaringologia, assim como um Ambulatório de Olfato e Paladar, especializado no diagnóstico e tratamento de pacientes com perda total ou parcial dos sentidos. Dispõe de profissionais de alta capacidade oferecendo excelentes condições de suporte especializado 24 horas por dia.


Informações à imprensa:

Máquina CW

imprensa.hospitalpaulista@maquinacw.com
Diego Silva (diego.silva@maquinacw.com) -- (11) 3147-7900/98400-2902

Tathiana Barbar (tathiana.barbar@maquinacw.com)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

CMC, CIDADE DE MARÍLIA