Pesquisar

24 de jan. de 2022

Turma da Valzinha para crescer dentro do app mais baixado durante a pandemia

 De vídeos à beira do rio para quase 7 milhões de seguidores no Tik Tok: Entenda a estratégia da Turma da Valzinha para crescer dentro do app mais baixado durante a pandemia

Valzinha, criadora do grupo, dá 5 dicas para quem quer começar a trabalhar produzindo vídeos nas redes sociais

Depois do sucesso, integrantes passaram a morar juntas para facilitar a criação de conteúdos e conseguiram fazer a primeira viagem (Crédito: Valzinha)

 

A cada dia, cresce o número de pessoas que começaram a trabalhar com as redes sociais. De acordo com um levantamento realizado pela consultoria alemã Statista, o Brasil é o segundo país que mais usa Tik Tok no mundo, atrás apenas da China, país da empresa que controla o aplicativo, a Bytedance. Em 2020, o aplicativo conhecido por permitir o compartilhamento de vídeos de curta duração, que podem ser editados com músicas, efeitos especiais, filtros e outros recursos, ganhou enorme popularidade e se consolidou. Ainda segundo a SensorTower, o Tik tok foi o aplicativo mais baixado durante a pandemia da Covid-19, com mais de 2 bilhões de downloads somente durante o primeiro trimestre de 2020.

 

E nessa onda, a Turma da Valzinha, que se originou no final de 2020, começou a se destacar no Tik Tok depois que um vídeo viralizou, onde começaram a ganhar muitos seguidores e a serem procuradas por agências nacionais e internacionais para parcerias, dando início à carreira do grupo piauiense. Os vídeos, antes gravados à beira do rio Parnaíba, na divisa de Piauí e Maranhão, onde o grupo se reunia, eram feitos apenas como diversão e publicados somente nos stories do instagram da Valzinha. Por incentivo dos próprios seguidores, o grupo criou um perfil no Tik Tok e as integrantes começaram a produzir vídeos com roteiro e periodicidade.

 

“Depois que conquistamos uma renda fixa com o nosso trabalho, passamos a buscar disciplina para entregar os vídeos na periodicidade que planejamos e, através dela, não só conseguimos fazer a festa de aniversário de um ano do grupo, com nossos convidados e pessoas que nos ajudaram desde o início, como também realizamos nossa primeira viagem, em 2021, a São Paulo”, explica a Valzinha.

 

O trio, composto por Valzinha (24), criadora do grupo, Vivi Pirangueira (23) e Yanguety (20), informou que seus trabalhos foram notados por diversos artistas famosos. A atriz Deborah Secco gostou tanto dos vídeos que, além de compartilhar o trabalho da Turma da Valzinha, lhes enviou uma mensagem parabenizando a criatividade das produções.

 

Hoje, com quase 7 milhões de seguidores e vídeos que chegam a quase 50 milhões de visualizações, a Valzinha, principal integrante do grupo, entendeu que precisavam se adaptar às mudanças necessárias para continuar com o trabalho na rede social. Para facilitar na rotina de gravações e eventos, o grupo passou a morar junto depois de 10 meses e a fazer investimentos para melhorar na qualidade das produções e na comunicação com as assessorias que costumam lhes procurar.

 

Valzinha entendeu que precisava evoluir e se matriculou em um curso de inglês. Isso porque passaram a ter contato com marcas internacionais com interesse em parceria para que divulgassem seus produtos, e toda a comunicação com os assessores era em inglês.

 

“Quem me ajudava na tradução era um amigo formado na Minds Idiomas, e foi onde eu me matriculei. Estou quase chegando no intermediário e a escola me ajuda com a irregularidade da minha rotina. Como temos ensaios, gravações e eventos, a flexibilidade nos horários das aulas faz com que eu consiga encaixar o curso na minha rotina, o que é maravilhoso”, explica a fundadora do grupo.

 

“Assim como a Valzinha, a Minds Idiomas já ajudou outras pessoas que trabalham na internet, como um jogador de E-Sport do Flamengo, uma equipe de gamers que tiveram que estudar o inglês para dominar a comunicação dentro do jogo. Quando ouvimos histórias como essas, entendemos o papel transformador e educacional que ocupamos e as usamos como combustível para continuar transformando vidas através do idioma inglês”, explica Leiza Oliveira, CEO da Minds Idiomas.

 

Com isso, a Valzinha, criadora do grupo Turma da Valzinha que já possui quase 7 milhões de seguidores, listou 5 dicas para quem deseja começar a trabalhar produzindo vídeos no Tik Tok e crescer dentro do app:

 

  1. Produza bons vídeos

Sempre que começar a gravar, procure bons ângulos, boa iluminação, um lugar sem barulho e um bom roteiro. Precisamos prender o espectador a assistir todo o vídeo e a assisti-lo novamente. Isso trará engajamento para a produção e fará com que tenha mais visualizações.

  1. Mantenha foco

É importante entender que é preciso ter disciplina na publicação dos vídeos e movimentação no perfil. Parece bobagem, mas é super importante levar a sério o trabalho e não usá-lo como um hobbie qualquer. Assim como qualquer outra área profissional, precisa ter foco.

  1. Se qualifique

Um outro ponto para se atentar é sobre se preparar e se qualificar para ser um profissional completo. Assista vídeos de outros perfis, monte um cronograma com pautas e roteiros, faça cursos de edição de vídeo, curso de inglês. A Minds Idiomas possui um curso completo em apenas 18 meses e vai te ajudar pela dinâmica das aulas e flexibilidade em seus horários. Afinal, o Tik Tok é universal: o inglês é mais que necessário!

  1. Busque ter uma identidade

Quando for começar a gravar, busque sua identidade e seu público. Defina com o que vai querer trabalhar: se é com humor, tutorial, dança ou outro segmento. Definir essa característica vai facilitar muito o trabalho.

  1. Tenha determinação

A determinação será imprescindível para a resiliência que precisa ter. Faça os vídeos com carinho, se divirta no processo que uma hora um vídeo vai viralizar, você vai ganhar muitos seguidores e o negócio vai fluir, basta confiar e esperar.

 

Sobre a Minds Idiomas

Com 15 anos de existência, o segredo da rede de idiomas Minds é a tecnologia. Com mais de 70 escolas em todo país, a Minds foi a primeira rede a implantar o ensino do inglês em tablets mantendo os livros físicos. Com especialistas em captação de conteúdo, a CEO Leiza Oliveira, tem consciência que a forma de aprendizado de cada criança e adulto é individual. Personalização e inovação são as palavras que movem franqueados e alunos da rede. O tempo de duração do curso da Minds é de 18 meses e há outras modalidades de ensino personalizadas. Acesse o nosso site e conheça mais sobre o mundo Minds acessando aqui!

 

Para informações (Imprensa):

Queissada Comunicação

Agência de RP & Digital Full Service

Kayro Almeida - comunicacao@queissada.com.br - (11) 95867 9102

Juliana Queissada - contato@queissada.com.br - (11) 99813 6291

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CMC, CIDADE DE MARÍLIA