Poema de Camões



Luís de Camões (1524-1580) foi um poeta e soldado português, considerado o maior escritor do período do Classicismo. Além disso, ele é apontado como um dos maiores representantes da literatura mundial.

Autor do poema épico “Os Lusíadas”, revelou grande sensibilidade para escrever sobre os dramas humanos, sejam amorosos ou existenciais. Pouco se sabe sua vida, portanto, o local e os anos de nascimento e morte ainda são incertos.



Soneto: Amor é fogo que arde sem se ver


Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói, e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís de Camões

Frases de Camões

  • O fraco rei faz fraca a forte gente.”
  • Ah o amor... que nasce não sei onde, vem não sei como, e dói não sei porquê.”
  • Coisas impossíveis, é melhor esquecê-las que desejá-las.”
  • Jamais haverá ano novo se continuar a copiar os erros dos anos velhos.”
  • Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, muda-se o ser, muda-se a confiança; Todo o mundo é composto de mudança, tomando sempre novas qualidades.”


sonetoé um tipo de poema que se apresenta sob uma estrutura fixa: quatro estrofes, sendo dois quartetos (estrofes compostas por quatro versos) e dois tercetos (estrofes compostas por três versos). Todos os versos possuem dez sílabas poéticas, chamadas de decassílabos. Com origem na Itália, o soneto foi documentado pela primeira vez na obra de Giacomo da Lentini ainda na primeira metade do século III, mas permanece atual, por isso é considerado como um dos moldes literários mais longevos da história da literatura universal. No Brasil, nosso maior sonetista foi Vinícius de Moraes, responsável por obras-primas como o Soneto do Amor Total, um dos poemas mais conhecidos da literatura brasileira.

Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinicius de Moraes

Vinicius de Moraes Ele foi um poeta e compositor carioca que se destacou na segunda fase do modernismo brasileiro. Além disso, também foi dramaturgo e diplomata.

Foi um expoente notável do gênero musical Bossa Nova, cujas composições ficaram muito famosas. Inclusive, com músicas voltadas para o público infantil. Apostamos que você saiba cantar Aquarela.







Comentários