Pesquisar

1 de abr. de 2022

Horwin Brasil e CBMM se unem para aplicar baterias de recarga ultrarrápida

 Horwin Brasil e CBMM se unem para aplicar baterias de recarga ultrarrápida com Nióbio em motocicletas elétricas

 

Veículo será pioneiro na utilização da bateria com Nióbio. Modelo será apresentado no primeiro semestre deste ano, com previsão de chegar ao mercado já em 2024

 

Modelo CR6 da Horwin será o primeiro a receber a bateria de íon de lítio aprimorada com óxido de nióbio, para recarga ultrarrápida. (Crédito: Horwin Brasil)

Com a intenção de ampliar o acesso à energia limpa e contribuir para a popularização da eletromobilidade no País, a Horwin Brasil, empresa de motocicletas elétricas, firmou parceria com a brasileira CBMM, maior especialista do mundo em tecnologias de Nióbio. O objetivo do acordo, assinado em janeiro de 2022, é aplicar uma bateria de íon de lítio com Nióbio em veículos elétricos de duas rodas.

 

“Essa parceria com a Horwin Brasil é importante pois acelera a aplicação de baterias de recarga ultrarrápida com Nióbio, também em motocicletas”, afirma Rogério Marques Ribas, gerente do Programa de Baterias da CBMM.

 

Segundo a CEO da Horwin Brasil, Pricilla Favero, o protótipo deste projeto será apresentado ainda no primeiro semestre deste ano. Será utilizada a motocicleta de modelo CR6 da Horwin, que conta com 6.200W de potência de motor e até 150 km de autonomia. “Com a expertise e pioneirismo da CBMM somados ao nosso time altamente capacitado em desenvolvimento de novas soluções, a expectativa é que a motocicleta com a bateria com Nióbio esteja disponível no mercado brasileiro já em 2024.

 

“Trabalhamos para que, em breve, qualquer pessoa possa utilizar uma moto elétrica com carga ultrarrápida de até 10 minutos. Além do diferencial da recarga, as baterias com Nióbio trazem benefícios significativos do ponto de vista de segurança e da vida útil, que permitem até 20 mil cargas com um nível de profundidade de descarga relativamente ampla, o que por si só já é o maior avanço para o segmento nos últimos tempos”, complementa Pricilla.

 

Célula de bateria fabricada pela Toshiba com aplicação de óxido de nióbio produzido pela CBMM. (Crédito: Divulgação CBMM)

















Rogério Ribas acrescenta que a tecnologia que será empregada na bateria da motocicleta elétrica é resultado de mais de três anos de pesquisa e desenvolvimento da parceria entre a CBMM com a japonesa Toshiba Corporation. Ele explica que “o uso do óxido de Nióbio no ânodo das baterias de íons de lítio, fornece características especiais para esse componente. Por ser um elemento muito estável, permite operações mais seguras e eficientes. Além disso, devido à sua estrutura cristalina mais aberta, o que facilita a intercalação do lítio, permite a recarga total em menos de 10 minutos, sem causar danos à bateria”. Ribas completa que, por estas características únicas, as baterias com Nióbio apresentam mais segurança e uma vida útil muito maior do que as baterias tradicionais.”

 

A Toshiba Corporation explica que está focada na possibilidade do uso de óxido de nióbio e titânio (NTO) como um material para o ânodo da próxima geração de baterias, que ajudará a aumentar a capacidade da bateria, mantendo as excelentes características do óxido de titânio e lítio (LTO), o material anódico das baterias SCiB™. O NTO tem uma densidade de energia volumétrica e capacidade teórica aproximadamente três vezes maior do que o LTO, ao mesmo tempo em que oferece as mesmas vantagens, como aumento de vida útil e carregamento rápido.

 

INOVAÇÃO

Ribas reforça que “a CBMM já trabalha com várias empresas do mercado automotivo, seja em estruturas veiculares ou no desenvolvimento de aplicações de Nióbio para mobilidade elétrica”. Um exemplo é a parceria com a Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO), anunciada em 2021, que prevê a aplicação das baterias com Nióbio em veículos elétricos de grande porte, que começam a ser testados em 2023 na fábrica da VWCO em Resende (RJ) e depois na planta industrial da CBMM em Araxá (MG).


Sobre a Horwin Brasil
A Horwin Brasil é uma empresa que faz parte do grupo Horwin Global, hoje com mais de 700 distribuidores no mundo e exportando para mais de 60 países. O foco da Horwin sempre foi desenvolver uma motocicleta elétrica de alta potência, com design, qualidade superior e tecnologia, todos os produtos Horwin refletem isto. No Brasil já possuímos centro de distribuição em Manaus e até o final de 2022 cada região do Brasil terá um distribuidor/revendedor Horwin. Nós da Horwin Brasil, a partir do segundo semestre de 2024, utilizaremos em todas as nossas motos esta nova tecnologia de baterias com Nióbio, carregando em menos de 10 minutos.

 

Sobre a CBMM
Líder mundial na produção e comercialização de produtos de Nióbio, a CBMM possui mais de 400 clientes, em 50 países. Sediada no Brasil, com escritórios e subsidiárias na China, Países Baixos, Singapura, Suíça e Estados Unidos, a companhia fornece produtos e tecnologia de ponta aos setores de infraestrutura, mobilidade, aeroespacial, saúde e energia. Em 2019, investiu na 2DM, empresa dedicada ao Grafeno e, em 2021, nas startups Echion e Battery Streak. Os investimentos visam novos desenvolvimentos em materiais para baterias de íons de lítio. Para mais informações, visite o Media Center no site da CBMM.

 

 

SOBRE A CBMM E O NIÓBIO

 

  • A CBMM é uma empresa de transformação de materiais, tecnologia e inovação, líder global na produção e comercialização de produtos industrializados de Nióbio.
     
  • Assim como o aço, que é produzido após uma série de processos industriais, o Nióbio é um metal, desenvolvido a partir do pirocloro ou outros minérios. São necessárias mais de 160 etapas químicas e metalúrgicas para se chegar aos produtos finais: Ferronióbio, óxido de nióbio, nióbio metálico e ligas de grau vácuo.
     
  • O Nióbio não é raro. Além do Brasil, existem mais de 85 depósitos de minérios que podem servir como base para a produção do Nióbio, em locais como: Rússia, Canadá, Groenlândia, Angola, Gabão, Quênia, Estados Unidos da América, China, Arábia Saudita, Austrália, Tanzânia, República Democrática do Congo, Finlândia, Maláui, Noruega, África do Sul, Zâmbia, Namíbia, Índia, Espanha e outros.
     
  • O Brasil possui a maior reserva ativa de pirocloro, minério utilizado pela CBMM como base para a produção de Nióbio. Neste contexto, vale ressaltar que a jazida mineral de Araxá é de pirocloro.
     
  • Conforme mencionado acima, há muitas ocorrências de minérios (como pirocloro, columbita, tantalina, etc), que podem ser utilizados para transformação em produtos de nióbio. Portanto, não é correto afirmar que no Brasil se concentram as reservas minerais para produção de Nióbio.
     
  • Porém, é correto afirmar que o Brasil é o maior produtor mundial desse metal e detém 90% do mercado de nióbio. Isso porque, há mais de 60 anos, a CBMM investe no desenvolvimento desse mercado, fomentando novas tecnologias e aplicações nos mais diversos segmentos: energia, automotivo, infraestrutura, aeronáutico, etc.

 

 

Informações à imprensa
Oficina Consultoria - imprensacbmm@oficina.ci

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CMC, CIDADE DE MARÍLIA