Alicerce Educação lança movimento no Brasil com o compromisso de solucionar a crise na educação agravada pela pandemia

 



Projeto Base que Transforma visa levar ensino de qualidade para 40 mil crianças e jovens de 1000 favelas de todo o país


De acordo com diagnóstico realizado pelo Alicerce Educação em setembro de 2021, com uma base de 10.000 alunos, após a pandemia, os brasileiros apresentaram, em média, de dois a quatro anos de defasagem escolar em leitura, escrita e matemática. Na perspectiva de solucionar a crise na educação agravada pelo período, o Alicerce, negócio de impacto social criado por Paulo Batista em 2018, lança o movimento Base que Transforma. A iniciativa prevê a implementação de 1000 polos educacionais, cada qual com capacidade para atender 40 alunos, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Paraná, Minas Gerais, Bahia e Brasília. Assim, o projeto visa atender o total de 40 mil alunos em todo o país.


A solução desenvolvida pelo Alicerce Educação oferece reforço do ensino básico por meio de aulas de leitura, escrita, matemática, habilidades socioemocionais e aulas de expansão do repertório cultural. Além disso, o intuito também é fomentar a formação de novas lideranças comunitárias nas comunidades por meio de aulas sobre sustentabilidade, movimentação na economia local e promoção de um lugar seguro e educativo para que as crianças estejam em contraturno escolar, enquanto os pais trabalham. Além disso, os líderes educadores em sala são jovens locais, que por meio do projeto também passam a gerar renda para suas famílias.


“Nasci e fui criado na favela. Entendo que às vezes tudo o que essas crianças e jovens precisam é de uma oportunidade. O problema é que a oportunidade não chega nesses lugares. Após a pandemia, a questão das defasagens escolares, que já era grave, se tornou ainda pior. Por isso, acredito que a melhor resposta para reverter esse cenário é justamente investir na educação, que é a principal ferramenta de transformação social capaz de reduzir as desigualdades sociais no país e a falta de equidade de oportunidades nas periferias” afirma Reginaldo Lima, Diretor de Articulação Comunitária Nacional no Alicerce Educação e Co-fundador do G10 Favelas.


Ainda de acordo com o executivo, o Alicerce possui expertise na atuação em comunidades vulneráveis e em metodologia eficiente na recuperação de defasagens escolares de crianças e jovens. A exemplo disso, seguem os projetos realizados em Paraisópolis e em Jacarézinho, que são referências da ação transformadora nas comunidades.

Alicerce em Paraisópolis:
 


Alicerce em Jacarézinho:
 

 

Nessa perspectiva, o movimento conta com a captação de recursos de empresas que queiram se unir à causa, seja ao financiar um polo educacional, ou na viabilização de bolsas de estudo. Segundo Reginaldo, esta pode ser também uma grande oportunidade para organizações que querem investir em projetos sociais de alto impacto e contribuir efetivamente para a educação do país, pois a medida em que promovem a geração de renda para jovens, famílias e professores, são reconhecidas por executarem ações alinhadas aos objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) do Pacto Global da ONU, que visam o Impacto sócio-econômico.


Para saber mais sobre o projeto, acesse o link e descubra como fazer parte do movimento Base que Transforma.


Sobre o Alicerce Educação

O Alicerce Educação é um negócio de impacto social dedicado a recuperar a lacuna de aprendizagem que existe no atual cenário, com o compromisso de promover a equidade de oportunidades e a equidade racial no Brasil. Ao desenvolver metodologia inovadora, oferece uma solução para a base educacional para crianças, jovens e adultos, por meio de um sistema de bolsas e grande estrutura de microoescolas espalhadas por todo o país, viabilizadas por doadores e investidores. Em 2028, o Alicerce completa 10 anos de atuação e visa beneficiar 4 milhões de estudantes em todo o país.

 

Informações à imprensa - Loures Comunicação

Comentários