Orações Subordinadas Adverbiais

 

PROFESSOR JOSÉ NUNES PEREIRA

Orações Subordinadas Adverbiais

 Uma oração é subordinada quando exerce função sintática sobre outras, ou seja, depende de outra para que a frase estabeleça seu sentido completo. 

As orações subordinadas são classificadas em adverbiais, adjetivas e substantivas dependendo da função sintática exercida na frase. 

As orações subordinadas adverbiais exercem a função do advérbio e funcionam como adjunto adverbial sendo classificadas em:  causais, comparativas, concessivas, condicionais, conformativas, consecutivas, finais, temporais, proporcionais. 


Classificação das Orações Subordinadas Adverbiais

 As orações subordinadas adverbiais são iniciadas com uma conjunção subordinativa (ou locução), isto é, aquelas que ligam as frases (principal e a subordinada).

 São classificadas em nove tipos, de acordo com a circunstância que exprimem na frase:

 Causais - A razão ou motivo que explica ou justifica um ato, acontecimento ou ação;

As orações subordinadas adverbiais causais, exprimem causa ou o motivo sendo as conjunções integrantes adverbiais: porque, que, como, pois, que, porquanto, visto que, uma vez que, já que, desde que. 

Exemplo: Não fomos à festa visto que estava chovendo muito. 


Comparativas 

As orações subordinadas adverbiais comparativas exprimem comparação sendo as conjunções integrantes adverbiais: como, assim como, tal como, tanto como, tanto quanto, como se, do que, quanto, tal, qual, tal qual, que nem, que (combinado com menos ou mais). 

Exemplo: Marina é estudiosa tanto quanto seu irmão.


 Concessivas 

As orações subordinadas adverbiais concessivas exprimem permissão sendo as conjunções integrantes adverbiais: embora, conquanto, por mais que, posto que, ainda que, apesar de que, se bem que, mesmo que, em que pese. 

Exemplo: Luciana gosta muito de dançar embora esteja com o pé quebrado. 


Condicionais 

As orações subordinadas adverbiais condicionais exprimem condição sendo as conjunções integrantes adverbiais: se, caso, contanto que, salvo se, a não ser que, desde que, a menos que, sem que. 

Exemplo: Iremos à festa desde que não chova. 

Conformativas 

As orações subordinadas adverbiais conformativas exprimem conformidade sendo as conjunções integrantes adverbiais: conforme, segundo, como, consoante, de acordo. 

Exemplo: Consoante às regras de conduta,  o diretor preferiu alertar seus colegas de trabalho. 

Consecutivas- consequência

As orações subordinadas adverbiais consecutivas exprimem consequência sendo as conjunções integrantes adverbiais: de modo que, de sorte que, sem que, de forma que, de jeito que. 

Exemplo: O palestrante falou tão baixo, de forma que não conseguimos ouvir a apresentação. 

Finais 

As orações subordinadas adverbiais finais exprimem finalidade sendo as conjunções integrantes adverbiais: a fim de que, para que, que, porque. Exemplo: Estamos aqui para trabalhar. 

Temporais 

As orações subordinadas adverbiais temporais exprimem circunstância de tempo sendo as conjunções integrantes adverbiais: enquanto, quando, desde que, sempre que, assim que, agora que, antes que, depois que, logo que. 

Exemplo: Enquanto eles se divertem, nós trabalhamos. 

Proporcionais 

As orações subordinadas adverbiais proporcionais exprimem proporção sendo as conjunções integrantes adverbiais: à proporção que, à medida que, ao passo que, tanto mais, tanto menos, quanto mais, quanto menos. 

Exemplo: À medida que o tempo passa, estamos mais distantes.


 EXERCÍCIOS SOBRE ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS

 01. A opção em que a oração subordinada pode ser considerada adverbial condicional é: 

a) Desde que o vi, me apaixonei. 

b) Desde que tenho muito trabalho hoje, não poderei sair. 

c) Permanecerei aqui, desde que você permaneça. 

d) Diga-me se a proposta lhe interessa. 

e) Falou sem que nos convencesse. 


02. As orações subordinadas adverbiais assinaladas estão classificadas. assinale a alternativa cuja classificação esteja errada: 

a) “Nunca chegará ao fim por mais depressa que ande.” (oração subordinada adverbial concessiva)

 b) “Era tal a serenidade da tarde que se percebia o sino de uma freguesia distante, dobrando a finados.” (oração subordinada adverbial consecutiva). 

c) Mesmo que faça calor, não poderemos nadar. (oração subordinada adverbial concessiva)

 d) Ela era tão medrosa, que não saía de casa. (oração subordinada adverbial comparativa) 

e) Se tudo correr bem, levar-te-ei à Europa. (oração subordinada adverbial condicional) 


03. No período: "Era tal a serenidade da tarde, que se percebia o sino de uma freguesia distante, dobrando a finados.", a segunda oração é:

 a) subordinada adverbial causal 

b) subordinada adverbial consecutiva 

c) subordinada adverbial concessiva 

d) subordinada adverbial comparativa

 e) subordinada adverbial subjetiva 


04. Assinale o período em que há oração subordinada adverbial consecutiva: 

a) Diz-se que você não estuda.  

b) Falam que você não estuda. 

c) Fala-se tanto que você não estuda. 

d) Comeu tanto que ficou doente 

e) Quando saíres, irei contigo.


1- c   2- d  3-b  4- d

Comentários