Educação participativa

 Lumiar Campinas propõe educação participativa para quebrar paradigmas e romper fronteiras

 

 

Diretora da nova unidade da escola na cidade, Roberta Brito Pereira defende o desenvolvimento da aprendizagem com vontade, propósito e prazer

 

Quebrar paradigmas e romper fronteiras para uma educação participativa e significativa para os estudantes. Assim a educadora Roberta Brito Pereira define seus desafios à frente da direção da nova Escola Lumiar de Campinas. Com uma ligação afetiva com a cidade, Roberta considera que Campinas oferece diferentes possibilidades culturais e estruturais, que serão exploradas no projeto pedagógico da nova unidade, a partir dos interesses dos estudantes.


Segundo a diretora, a Lumiar Campinas oferece um ambiente que convida os alunos e alunas a se comprometerem com o próprio desenvolvimento, aprendendo com vontade, propósito e prazer. A Lumiar é uma das instituições referência em educação inovadora na cidade de São Paulo. Em Campinas, a unidade funcionará no prédio da antiga escola Integral, totalmente reformada para que os espaços atendam à proposta da Lumiar e potencializem sua metodologia.


O local terá mais de 7 mil m 2 e estrutura completa, com ambiente maker, sala de música, biblioteca, jardim com brinquedos, quadra poliesportiva e espaços comuns. A unidade Campinas vai atender cerca de 400 estudantes do ciclo Infantil até o Fundamental. A Lumiar, cuja primeira escola foi fundada na capital paulista há dezenove anos, completará sua segunda década de existência inaugurando unidades em Campinas e Santos.


Na Lumiar, os estudantes são protagonistas de seu processo de aprendizagem. A metodologia propõe um ensino baseado em competências, personalizado de acordo com os interesses das crianças e jovens, é bilíngue e integral. Seus pilares são: Tutores e Mestres; Currículo em Mosaico; Aprendizagem Ativa; Avaliação Integrada; Multietariedade e Gestão Participativa.


Atualmente, a Lumiar é a única instituição latino-americana na lista de iniciativas transformadoras efetivas, de acordo com as classificações da Unesco, da Universidade de Stanford e da Microsoft, além de ser reconhecida pela OCDE como uma das metodologias mais inovadoras do mundo. A unidade de Campinas vai funcionar na Rua Embiruçu, 43, Loteamento Alphaville.


Roberta Brito Pereira é formada em pedagogia, com mais de 15 anos atuando na área. Já foi professora, coordenadora, mantenedora e diretora de unidades escolares. Durante todos esses anos sempre se preocupou em se atualizar e em estar conectada com tudo que acontece na educação do país e do mundo. Há três anos em São Paulo, está retornando para Campinas, cidade onde estudou, fez faculdade e começou sua carreira profissional.


Nesses 15 anos, adquiriu competências e experiência no planejamento e avaliação pedagógica, coordenando a atuação e formação de instrutores e professores, participando do planejamento estratégico. Desenvolveu projetos educacionais, desde a concepção pedagógica, alinhamento com Plano Político Pedagógico ao acompanhamento e resultados de aprendizagem dos estudantes, garantindo uma educação inovadora e alinhada com a comunidade escolar.

 

Na entrevista abaixo, Roberta fala mais sobre seu trabalho na Lumiar e os projetos para Campinas.

 

 

Como você enxerga o papel de diretor(a) para uma escola?

Roberta Brito Pereira -- Acredito que o diretor ocupa um papel estratégico dentro de toda Escola, é quem direciona o grupo, o tutor de todo um time. Acredito que nosso papel fundamental é auxiliar o time a olhar as prioridades, manter os pilares da instituição de pé, manter o clima acolhedor e de construção, tanto para estudantes e suas famílias como para educadores.

 

Como acredita que deva ser o relacionamento da direção com os estudantes?

Roberta Brito Pereira -- Na Lumiar, um de nossos Pilares é a gestão participativa dos estudantes. Para que possamos trabalhar dessa forma, a proximidade entre direção e estudantes deve ser cotidiana, acessível e de escuta aberta. Acredito que juntos construiremos a melhor escola que eles poderão vivenciar.

 

O que é mais importante na educação para a formação de futuros cidadãos?

Roberta Brito Pereira -- Hoje não podemos olhar apenas para o conhecimento teórico dos conteúdos escolares. Para formar cidadãos temos que considerar mais do que esses conhecimentos que mantemos nas escolas há décadas. Falar de cidadania é considerar como essencial uma formação que proporcione a participação, respeito, autogestão e habilidades para que possamos usar de forma adequada os conhecimentos construídos ao longo dos anos escolares. Com isso, acredito que para a educação de futuros cidadãos precisamos considerar habilidades que potencializem conhecimentos essenciais e científicos.

 

Como é e qual a expectativa sobre sua relação com a cidade? Como será o encontro entre a Lumiar e a cidade de Campinas?

Roberta Brito Pereira -- Minha relação com Campinas já é de amor e profundo carinho. Como escola, estamos sendo bem acolhidos, são muitas famílias nos procurando e querendo saber mais sobre a proposta da Lumiar. Espero que essa relação de troca siga sendo efetiva e contínua, acredito que Campinas nos oferta diferentes possibilidades culturais e estruturais, vamos fazer essa exploração com certeza! Estamos na expectativa de seguir acrescentando muito na educação da cidade e de seus futuros cidadãos.

 

Como você avalia as características do município em relação à educação? Por que a Lumiar escolheu Campinas para abrir uma nova unidade?

Roberta Brito Pereira -- Campinas, além de ser um polo tecnológico, é o berço de uma das maiores universidades do mundo, tem uma vida cultural ativa e rica e não poderia ser diferente quando falamos de educação básica. Acredito que aqui temos Escolas gigantes, de muita tradição e competência, por esse motivo escolhemos Campinas como uma das cidades para nossa ampliação.

 

O que a Lumiar vai levar de novidade educacional para o município?

Roberta Brito Pereira -- A escola Lumiar é premiada pela Unesco por sua metodologia inovadora, estamos presentes em diversos países do mundo, sempre levando educação de qualidade para nossos estudantes. Em 2007, foi indicada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e em 2018, indicada pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Somos uma escola que trabalha com projetos desde a educação infantil até o ensino médio, quebrando paradigmas e rompendo fronteiras de uma educação participativa e significativa para os estudantes.

 

Como será o projeto pedagógico da escola para a unidade de Campinas?

Roberta Brito Pereira -- Na Lumiar, os(as) estudantes estão no centro e participam ativamente de seu processo de aprendizagem. Ao levarmos em consideração seus interesses, oferecemos um ambiente que os(as) convida a se comprometerem com o próprio desenvolvimento, aprendendo com vontade, propósito e prazer. Dessa forma, ao longo de sua vida escolar, os estudantes têm várias oportunidades para construir sua autonomia, tornando-se capazes de mobilizar aquilo que já desenvolveram e aprenderam e de identificar o que ainda precisa ser explorado. Nossa metodologia propõe o conceito de aprendizagem com base em competências -- desenvolvidas por projetos que trabalham a combinação de habilidades e conteúdos. Nosso compromisso é preparar os(as) estudantes para um mundo ágil e colaborativo, para que eles(as) atuem na sociedade de forma autoral, responsável e consciente.

 

Como vai funcionar a escola em Campinas? Quantos alunos vai atender, de que anos, em que períodos?

Roberta Brito Pereira -- Nossa Escola atende estudantes das 8h às 15h30, sendo esse o horário normal de aula. Após às 16h oferecemos o After School, até 18h. Nosso prédio hoje tem capacidade para aproximadamente 400 estudantes entre infantil, fundamental e ensino médio (que iniciaremos em 2024).

 

Quando vai começar a funcionar?

Roberta Brito Pereira -- Ano letivo de 2023, fevereiro.

 

Fale sobre a estrutura da escola em Campinas. O que as famílias podem esperar da unidade de Campinas da Lumiar? Como será a relação da escola com a comunidade?

Roberta Brito Pereira -- Todas as nossas escolas têm prédios que conversam com a metodologia, com espaços de convivência que proporcionam multifuncionalidade e interação. Em Campinas não será diferente, teremos as salas amplas com mobiliário móvel, salas como maker, laboratório e biblioteca. Banheiros adequados para as faixas etárias e todo espaço acessível. Nossa quadra e espaço externo são arejados e amplos, estão sendo preparados com muito carinho para atender as diferentes idades de forma acolhedora, passiva de intervenção e muita integração. Estamos com grandes expectativas para usar todos os espaços em nossos sábados especiais, que acolhem famílias e trazem a comunidade para dentro da Escola. Hoje já começamos a construir um relacionamento com nosso entorno, que queremos expandir por toda cidade, relacionamento próximo e acolhedor.

 


Sobre a escola Lumiar | Fundada em 2003, a escola Lumiar surgiu como uma iniciativa de educadores de vanguarda para transformar a educação. Através de uma metodologia que prioriza a autonomia e a individualidade de cada estudante, o aprendizado se fundamenta em seis pilares: tutores e mestres; currículo em Mosaico; aprendizagem ativa; avaliação integrada; possibilidade de multietariedade e gestão participativa.

 

Comentários