Poesia Imparcialista


José Nunes Pereira






Além Túmulo 

No final dirão que foi por amor,
ou que foi por loucura,
apresentarão o laudo
e estará tudo certo.

Não me importo com as palavras,
estão todas empobrecidas e desgastadas
e são colocadas em qualquer lugar.

Tem palavra que vale ouro,
mas agora servem apenas e valem tanto
quanto uma pedra que segura uma porta.

Não perco tempo me explicando, pra que! 
se já está estou investigado, julgado e condenado
feito uma bruxa na idade das trevas.
Quem tenta se explicar 
passa por doido afirmando que não é doido,
e quanto mais afirma mais doido se torna
aos olhos de quem quer 
que você pareça e seja considerado doido.

Eu só espero um meteoro, um planeta gigante
que os esotéricos dizem que está vindo rumo a terra. 
Isso ninguém pode me impedir de esperar.
aprendi a ter paciência, 
aprendi que esse é um dom muito perigoso
quando associado a revanche. 

Os esotéricos dizem que há karma, Lei Divina
e uma mão invisível sobre todas as coisas,
prefiro assim, essa ideia que reduz tudo a questões sociais
tira a graça de saber 
que estou agora muito além daquela último túmulo.
 
Mas eu não guardo ódio em meu coração,
só não quero voz humana,
só não quero ter opinião ou ideologia,
não quero essa gente politizada por perto,
na verdade não quero gente por perto! 
quero apenas ficar aqui no meu canto
ter o meu café e o meu cigarro,
e olhar pela janela e vê-la atravessando outra vez
entre os faróis na neblina. 

José Nunes Pereira  





Comentários