Pesquisar este blog

Mostrando postagens com marcador cultura. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador cultura. Mostrar todas as postagens

SESI e SENAI realizam a tradicional Semana do Livro e da Biblioteca

 



SESI e SENAI realizam a tradicional Semana do Livro e da Biblioteca
Romances para sonhar de olhos abertos, suspense para sentir medinho e fantasia para imaginar o imaginável. Quem não gosta da companhia de um bom livro? Se o hábito da leitura for iniciado ainda na infância, os livros serão parceiros pelo resto da vida, em todos os momentos.

Para incentivar crianças e adolescentes a lerem mais, as Escolas SESI e SENAI realizam, anualmente, a Semana do Livro e da Biblioteca. Neste ano, devido às medidas sanitárias relacionadas ao combate da Covid-19, o evento será realizado nos dias 3 e 5/11, de forma on-line.

Então, você está pronto para quebrar a rotina e embarcar nesta trilha de conhecimento e diversão? Se liga na programação das lives:

Viagem literária pelo mundo
Com a professora Maria Fernandino
Data: 3/11
Horário: 15h
Onde? Canal oficial da FIEMG no YouTube

Quem é a Maria Ferdinanda? Formada em Letras pela UFMG, instituição onde também cursou mestrado e concluiu doutorado em Literatura Brasileira. Lecionou nas mais tradicionais escolas de Belo Horizonte, atualmente é professora da Escola São Tomás de Aquino e se dedica, de maneira independente, à pesquisa das produções literárias e artísticas da cena cultural contemporânea.

Encontro com o autor e contação da história "Bruxa Cremilda"
Com a contadora de história Fabiana Brasil e o autor Jonas Ribeiro
Data: 5/11
Horário: 10h
Onde? Canal oficial da FIEMG no YouTube

Quem é Jonas Ribeiro? O autor paulistano é um apaixonado por livros desde muito pequeno, tornando-se um leitor voraz na adolescência. Em sua juventude, optou por se graduar em Língua e Literatura Portuguesa pela PUC-SP. Atualmente, além de escrever e visitar escolas, estuda piano. Entre seus livros publicados, destacam-se: Palavra de filho; Silêncio de filha e Alfabético.

Quem é Fabiana Brasil? Atriz, contadora de histórias e doutoranda em literaturas de língua portuguesa

Conteúdo - Jornalismo
FIEMG - Federação das Indústrias de Minas Gerais
55 (31) 3263-4444 I 7753 I 4555 I 4512 I 4449
jornalismo@fiemg.com.br www.fiemg.com.br

A FIEMG não se responsabiliza por quaisquer falhas, inclusive omissões, existentes na mensagem ou que decorram de sua transmissão, bem como prejuízos provenientes de qualquer alteração do conteúdo. Tais ocorrências são da responsabilidade de seu autor e não refletem a opinião da empresa.
FIEMG is not responsible for any failure, including omission, contained in the message or resulting from its transmission, as well as losses arising from any change in content. Such occurrences are of the author’s liability and do not reflect the opinion of the company

A cultura digital e a importância da análise de dados no último dia do All In At Home 2021

 Luiza Helena Trajano e Alexandre Allard falam sobre cultura digital e a importância da análise de dados no último dia do All In At Home 2021


As participações de Luiza Helena Trajano, presidente do conselho do Magalu, Daniela Klaiman, futurista especialista em comportamento, e Alexandre Allard, fundador da ConsoData e idealizador da Cidade Matarazzo, encerraram o All Int At Home 2021.

Abordando diversas questões sobre a importância que tem a cultura corporativa para as organizações, Luiza Helena e Daniela Klaiman destacaram o papel da humanização nas empresas e reforçaram a importância de as companhias serem guiadas por propósitos, e não por lucros.

No último painel do evento, Alexandre Allard explicou a relevância da análise dos dados para o sucesso dos negócios, discorreu sobre a mudança no comportamento da sociedade que tende a valorizar mais projetos de revitalização de cidades e causas, como o da Cidade Matarazzo, em São Paulo. Além disso, abordou os processos cotidianos que foram acelerados pela pandemia de COVID-19 no mundo todo, especialmente a transformação digital.

"Fechamos o All In com a sensação de dever cumprido. Durante os dois dias do evento, trouxemos grandes especialistas para conversar sobre temas que estão mudando paradigmas estruturais do mercado. O resultado é extremamente positivo. Certamente, foram gerados diversos insights e conceitos que veremos em projetos ao longo do ano que vem", comenta Marcio Esher, diretor de operações da Holding Clube.

Para assistir às palestras sobre "Periferia Tech", "Mercado Gamer", "Cultura Digital" e "Database Generation 3.0", acesse canal no Youtube , da Holding Clube.

Sobre a Holding Clube

Criada em 2010, a Holding Clube é um grupo especializado em experiências entre marcas e consumidores. É composto por oito empresas, cada uma com seu nicho de atuação - Banco de Eventos, Samba, Storymakers, Roda Trade, Cross Networking, Lynx, Pazetto Events e o PR Beto Pacheco. As agências, cada uma com sua expertise e capacidade de atuar de forma integrada, procuram constantemente por novas formas de relacionamento entre marcas e pessoas, proporcionando experiências memoráveis ao público para alavancar os negócios de cada cliente.

Mais informações à imprensa

Osmar Barros

(11) 9 42860786

"Charles Sanders Peirce -- Excertos "é o novo livro da pesquisadora Lucia Santaella

 



 


Olá, como vai?

Em "Charles Sanders Peirce - Excertos", obra lançada pela PAULUS Editora, a autora Lucia Santaella propõe o estudo da semiótica de Peirce e a defende como teoria da comunicação.

Estamos à disposição,

Equipe Imprensa


Charles Sanders Peirce - Excertos
Lucia Santaella traz na obra detalhes sobre a semiótica de Charles Sanders Peirce

"Não há cultura sem comunicação, assim como não há comunicação sem signos", Umberto Eco.

Em "Charles Sanders Peirce - Excertos", a autora Lucia Santaella defende que a semiótica de Peirce é também uma teoria da comunicação. Esse argumento contraria a falsa separação entre comunicação e semiótica. Ela explica que a comunicação não pode prescindir de signos. E é nesse ponto que a semiótica de C. S. Peirce apresenta contribuições relevantes.


Roberta Molina
assessor.imprensa@paulus.com.br
(11) 5087-3634 (11) 98751-3050

Cleane Santos
imprensa@paulus.com.br
(11) 5087-3733 (11) 98751-3050
Acesse o nosso site:
www.paulus.com.br

Dia do livro: conheça os títulos lançamentos que não podem faltar na estante

 

Dia do livro: conheça os títulos lançamentos que não podem faltar na estante

Separamos 6 lançamentos exclusivos da Buzz Editora para você aproveitar



"Descubra o Craque que Há em Você", escrito pelo empreendedor César Souza e o jornalista Maurício Barros - R﹩ 49,90

No esporte, na vida e no trabalho, ter alto desempenho e conquistar sucesso exige elevada dose de determinação, foco e entrega de corpo e alma. Conscientes destas necessidades, o consultor em gestão e liderança empresarial César Souza, CEO do Grupo Empreenda, e o jornalista Maurício Barros, comentarista e apresentador do canal BandSports, se uniram e comprovaram a eficiência do trabalho em equipe na elaboração do livro "Descubra o craque que há em Você - Lições do Mundo do Esporte que podem levar você ao topo na profissão e na vida".

"Do Zero ao Infinito" escrito por Everton Rosa - R﹩ 49,90

Everton é fotógrafo que já registrou imagens de famosos como Ana Maria Braga, Miguel Falabella, Mr Catra e Otávio Mesquita. A obra detalha o passo a passo do método "Viva o Infinito", criado e testado por Everton Rosa, para conquistar os seus objetivos com sucesso - independente de sua área de atuação. Além disso, Everton compartilha ao leitor as lições que aprendeu com a arte de retratar príncipes, bilionários, políticos através de um olhar perspicaz e sensível, revelando a forma como essas pessoas pensam e tomam decisões em suas vidas. Everton já viajou para diversos países para fotografar.

"Escolha Sua Vida" escrito por Paula Abreu - R﹩ 39,90

Paula é um dos principais nomes do coaching e do marketing digital do Brasil. Sua obra ensina os segredos da transformação pessoal para viver segundo suas próprias regras. Isso porque Paula que era advogada renomada, pós-graduada e com Mestrado pela Columbia University School of Law, em Nova York. Por muitos anos, ela alugou o seu cérebro para pagar as contas. Em 2012, decidiu escolher um outro caminho e descobriu que era possível. Hoje ela paga as contas com o dinheiro das ideias, compartilhando com os leitores as ferramentas que me permitiram transformar o impossível em realidade. Paula é mãe de duas crianças.

"Trabalhe menos, ganhe igual" escrito por Alex Soojung-Kim Pang - R﹩ 59,90

O escritor norte-americano é consultor empresarial de diversas empresas e startups e em sua obra antecipa o novo modelo de trabalho, que antes era uma tendência no mercado e se tornou realidade com a pandemia. Além disso, o escritor ensina o passo a passo necessário para que líderes e empresários possam adotar esse modelo com sucesso, estimulando reflexões sobre o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Com a obra Alex apresenta uma mudança de paradigma nas relações de trabalho, redesenhando uma nova forma de atuação no espaço-tempo das empresas e destacando a importância do descanso para produtividade e criatividade.

"Lições de um monge para viver no século 21" escrito por Gelong Thubten - R﹩ 39,90

Ao ministrar aulas de meditação em hospitais, clínicas de reabilitação e prisões, além de empresas globais de tecnologia o escritor britânico, monge budista e professor de meditação, Gelong Thubten, aprendeu os segredos para ter uma vida plena e os ensina em sua obra por meio das principais lições do método "micromomentos mindfulness" para quem deseja encontrar a tranquilidade na correria cotidiana. Para isso, Gelong conseguiu aplicar aulas de meditação em diversos ambientes de trabalho caracterizados por alto nível de stress, tornando-se um dos pioneiros no mundo no ensino de mindfulness. Entre seus célebres alunos de meditação está o ator britânico Benedict Timothy Carlton Cumberbatch, mais conhecido pelos seus papéis como Sherlock Holmes e como Stephen Strange/Doutor Estranho no Universo Marvel.

"Gestos de Gentileza" escrito por Rosana Braga - R﹩ 39,90

A escritora, pesquisadora e uma das maiores especialistas em relacionamento e comunicação do país, Rosana Braga, criou um livro ao analisar o comportamento humano que serve como um guia para situações em que a gentileza pode ser a solução de conflitos e o start para uma vida com mais bem-estar. Em tempos de profundas contradições e, ao mesmo tempo, de intensas transformações, o exercício da gentileza torna-se um gesto necessário e urgente para se levar uma vida mais pacífica e amorosa.

Exposição ‘Pasteur, o Cientista’ reabre no Sesc Interlagos

 




Exposição ‘Pasteur, o Cientista’ reabre no Sesc Interlagos

De forma lúdica, mostra apresenta as descobertas de Louis Pasteur, um dos grandes nomes da ciência, cujos feitos vão da invenção da pasteurização até a criação da vacina da raiva, doença considerada incurável no século XIX.
Público poderá visitar gratuitamente, mediante agendamento prévio feito na página da unidade na Internet. No Sesc, a retomada de atividades presenciais segue protocolos de órgãos de saúde pública para evitar o contágio e disseminação da Covid-19.

Exposição Pasteur, o cientista. Foto: Renata Teixeira

Imagens de divulgação: http://flic.kr/s/aHsmRN4Y5n

Figura emblemática da ciência, um pesquisador obstinado e um mestre na divulgação científica, o francês Louis Pasteur (1822-1895) é agora homenageado na exposição Pasteur, o Cientista, em cartaz até 29 de novembro no Sesc Interlagos. A mostra exibe as descobertas do cientista por meio de obras organizadas em ordem cronológica e traz ao público desde a solução de um enigma químico até a vitória de Pasteur contra a raiva, doença que, no século XIX, era tida como incurável.

Organizada e concebida em 2017 pela Universcience - órgão do Ministério da Cultura da França -, a exposição tem curadoria de Éric Lapie - que assinou mostras como Leonardo Da Vinci, a Natureza da Invenção e Darwin, e faleceu antes que essa exposição estivesse pronta - e Astrid Aron e curadoria científica de Maxime Schwartz, e já foi exibida no Palais de la Découverte, em Paris. Pela primeira vez fora da França, para sua estreia no Brasil, a exposição contou com curadoria nacional de Juliana Manzoni Cavalcanti e Vanessa Pereira Mello, pesquisadoras doutoras da Fiocruz. É uma realização do Sesc São Paulo e da Universcience, com patrocínio da Sanofi Brasil e do Magazine Luiza, por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal, e apoio da Embaixada da França no Brasil, da Fiocruz e do Instituto Butantan.

Inaugurada no Brasil em fevereiro, a mostra teve sua visitação interrompida devido às restrições impostas pela pandemia de Covid-19. Reaberta em outubro, a exposição agora pode ser visitada gratuitamente pelo público de quarta a sexta-feira, das 10h30 às 15h, mediante agendamento prévio pelo site sescsp.org.br/interlagos. As visitas à exposição de Pasteur têm capacidade reduzida para 10 pessoas a cada 30 minutos e o uso de máscara facial é obrigatório para todas as pessoas, durante todo o período. Ao final de cada circuito, antes de receber novos visitantes, é realizada higienização do espaço, das obras e de equipamentos.

A exposição convida o público a conhecer e celebrar vida e obra de Pasteur por meio de vídeos, grafismos, animações, projeções, textos e desenhos. O visitante não apenas conhece a ciência do século XIX - época de desenvolvimento e inovações - como também revive as descobertas do icônico cientista em experiências interativas e lúdicas. Pasteur, o Cientista tem, ainda, a proposta de trazer a reflexão e discussão sobre a valorização da ciência e do ato histórico como elemento constituinte não somente da memória e da identidade, mas como a mais sólida base para o crescimento e o desenvolvimento da humanidade.

Ato a ato

Os núcleos da exposição foram estruturados em seis atos, tal qual uma peça de teatro. Os visitantes são recebidos pelos educadores do Sesc e conduzidos por um percurso lúdico e interativo que remonta a trajetória e os feitos do célebre inventor.

No Prólogo, o espectador se depara com um busto de Pasteur, escultura na qual é projetada um videomapping e que traz áudio de Marie Pasteur, que narra a trajetória do marido.

No Ato 1 - Cristais e Dissimetria, o visitante assiste às descobertas que Pasteur realizou entre os anos de 1847-1857. É o início de tudo: aos 21 anos, ele decide - e consegue - resolver um mistério da ciência. Aqui, um filme, uma experiência ótica e um jogo de classificação ajudam a entender o processo.

Indo para o Ato 2 - Fermentações, é a hora de conhecer o Pasteur dos anos 1857 e 1876, época em que trabalhou os microorganismos da fermentação. Por meio de microscópios e jogos interativos, o visitante aprende como o cientista inventou a pasteurização e resolveu impasses de indústrias como a da cerveja e do vinho. No mesmo núcleo, começam as relações com descobertas sobre contaminação por microorganismos e doenças. De 1859 a 1864, Pasteur viveu a polêmica do surgimento dos microorganismos. O cientista enfrenta outros cientistas e prova sua teoria.

No Ato 3 - Gerações espontâneas?, o visitante descobre como foi, passo a passo, esse processo por meio de uma multimídia instalada em vitrine mágica.

Nos anos seguintes, entre 1865 e 1869, o cientista trabalha em sua primeira pesquisa em patologias animais. É o Ato 4 - Doenças dos bichos-da-seda, que reúne maquetes, equipamentos de época e dioramas que ilustram o método e as descobertas de Pasteur sobre as doenças dos insetos produtores.

O auge da carreira de Pasteur acontece de 1876 a 1895, época em que se debruça sobre doenças infecciosas. Na época, galinhas e carneiros receberam vacinas em experiências bem-sucedidas. O cientista ganha fama mundial com a invenção da vacina contra a raiva. No Ato 5 - Doenças infecciosas e vacinas, o visitante percorre um cenário lúdico de fazenda e é convidado a interagir com jogos sobre as vacinas, filmes e maquetes que contam como Pasteur chegou até as vacinas contra doenças dos animais.

O ato final, Epílogo - Pasteur e o Brasil, traz à tona a relação de Pasteur com o povo brasileiro. Enquanto o célebre cientista fazia a ciência avançar na Europa, os reflexos de suas pesquisas chegavam ao Brasil. D. Pedro II era um grande admirador de Pasteur, trocou correspondência com ele e até tentou trazê-lo para o Brasil, fazendo uma generosa contribuição para a criação do Instituto Pasteur. Foram fundados institutos de pesquisa e diversos cientistas e médicos brasileiros se destacaram na área, em especial Vital Brazil e Oswaldo Cruz.

Ciência aplicada à vida prática

Pasteur não foi o primeiro nem o único a criar uma vacina, mas sua pesquisa e a aplicação da antirrábica o transformou em símbolo da imunização. Era um cientista com visão exímia: trabalhou na pesquisa ligada à indústria e às atividades econômicas importantes, aperfeiçoando métodos de cultivo e processamento de indústrias relevantes como as do vinho, da seda e de animais de corte. Resolveu problemas logísticos - não ao acaso, seu nome batiza o processo de conservação de alimentos batizado como pasteurização - e salvou atividades econômicas prejudicadas por pragas.

Nascido no interior da França em 1822, de uma família de curtidores de couro, Louis Pasteur fez avançar a Química e a Medicina no século XIX e, como um dos criadores da Microbiologia, redefiniu horizontes ao provar que existem micro-organismos e ao definir como se reproduzem, proliferam e colonizam outros organismos - e ainda como são responsáveis pelas doenças infecciosas.

Estudou germes, vírus, fungos e demais "seres infinitamente pequenos". Estabeleceu, assim, novos paradigmas para as ciências e novos procedimentos, inclusive para a Medicina, salvando incontáveis vidas ao introduzir a assepsia nos cuidados com doentes. Antes disso, era comum que os médicos sequer lavassem as mãos nos atendimentos.

Pesquisador respeitado entre seus pares - era de um extremo rigor nos métodos -, ganhou fama mundial também junto ao grande público ao descobrir a vacina contra a raiva, em 1885. No Brasil, tinha muitos seguidores e admiradores, entre os quais o imperador Pedro II e Oswaldo Cruz, que foi um dos cientistas que trabalharam na esteira de suas realizações.

Foi também um brilhante comunicador - hoje, poderia se dizer um ser midiático. Sabia chamar a atenção da comunidade científica e da população para assegurar que suas descobertas chegassem ao maior número possível de pessoas, com demonstrações públicas e grandiloquentes de suas descobertas. "Para provar ao público reunido na Sorbonne que as bactérias estavam por toda parte, mesmo no ar, ele direcionou um projetor de luz para iluminar os grãos de poeira", comenta Astrid Aron, museógrafa da exposição.

Era também um empreendedor, registrando patentes e criando empresas para explorar suas descobertas. "Seu principal objetivo não era reunir uma fortuna, mas assegurar fundos para prosseguir com as pesquisas", explica o curador científico Maxime Schwartz, ex-diretor geral do Instituto Pasteur. "Podemos até dizer que Pasteur era uma espécie de precursor das startups de hoje", conclui.

A fama conquistada pela vitória contra a raiva, com a vacina pioneira em 1885, permitiu que levantasse fundos internacionais para fundar, três anos depois, o Instituto Pasteur que, com braços pelo mundo, iria disseminar a imunização.

Orientações de segurança para visitantes

O Sesc São Paulo retoma, de maneira gradual e somente por agendamento prévio online, a visitação gratuita e presencial a exposições em suas unidades na capital, na Grande São Paulo, no interior e no litoral. Para tanto, foram estabelecidos protocolos de atendimento em acordo com as recomendações de segurança do governo estadual e da prefeitura municipal.

Para diminuição do risco de contágio e propagação do novo coronavírus, conforme as orientações do poder público, foram estabelecidos rígidos processos de higienização dos ambientes e adotados suportes com álcool em gel nas entradas e saídas dos espaços. A capacidade de atendimento das exposições foi reduzida para até 5 pessoas para cada 100 m², com uma distância mínima de 2 metros entre os visitantes e sinalizações com orientações de segurança foram distribuídas pelo local.

A entrada na exposição será permitida apenas após confirmação do agendamento feito no portal do Sesc São Paulo. A utilização de máscara cobrindo boca e nariz durante toda a visita, assim como a medição de temperatura dos visitantes na entrada da unidade serão obrigatórias. Não será permitida a entrada de acompanhantes sem agendamento. Seguindo os protocolos das autoridades sanitárias, os fraldários das unidades seguem fechados nesse momento e, portanto, indisponíveis aos visitantes.

Serviço:
Pasteur, o Cientista
Local: Sesc Interlagos
Curadoria: Éric Lapie, Astrid Aron e Maxime Schwartz (este último, assina a curadoria científica)
Período expositivo: até 29 de novembro
Funcionamento: quarta a sexta-feira, das 10h30 às 15h
Tempo de visitação: permitida 10 pessoas a cada 30 minutos
Agendamento de visitas: http://www.sescsp.org.br/interlagos
Classificação indicativa: livre
Grátis
Sesc Interlagos - Av. Manuel Alves Soares, 1100 - Parque Colonial, São Paulo/SP. Estacionamento: R﹩ 12 para credenciados e R﹩ 24 para não credenciados. Para mais informações, acesse o portal: sescsp.org.br/interlagos

Informações para imprensa:
Sesc Interlagos
Lidiane de Jesus - 11 5662-9542 | 11 9 5306-3093
a4&holofote comunicação
Ane Tavares - anetavares@a4eholofote.com.br
Laura Jabur - laurajabur@a4eholofote.com.br
Neila Carvalho - neilacarvalho@a4eholofote.com.br
Patrícia Marrese - patriciamarrese@a4eholofote.com.br

‘Cura e Leitura: têm algo além da rima?’ é tema de live da Associação Viva e Deixe Viver com a filósofa Eliana Yunes

 




‘Cura e Leitura: têm algo além da rima?’ é tema de live da Associação Viva e Deixe Viver com a filósofa Eliana Yunes

Durante o bate-papo com Valdir Cimino, fundador da Viva, Eliana fala sobre a importância da leitura para a transformação das pessoas



A Associação Viva e Deixe Viver (VIVA) promoverá uma transmissão ao vivo com o tema ‘Cura e Leitura: têm algo além da rima?’, que contará com a participação da filósofa, escritora e educadora Eliana Yunes.

Durante a live, que será mediada pelo fundador da Viva e Deixe Viver, Valdir Cimino, Eliana falará sobre como a importância da leitura para a transformação das pessoas.

A sessão acontece no dia 27 de outubro, às 19h, pelo Youtube (associacaoviva).

Serviço:

Live: ‘Cura e Leitura: têm algo além da rima?’

Convidada:

Eliana Yunes, filósofa, escritora e educadora

Mediação:

Valdir Cimino - fundador da Viva e Deixe Viver

Data: 27 de outubro

Horário: 19h

Sobre a Associação Viva e Deixe Viver -Fundada em 1997, pelo paulistano Valdir Cimino, a Associação Viva e Deixe Viver (http://www.vivaedeixeviver.org.br) é uma Organização da Sociedade Civil (OSC) que conta com o apoio de voluntários que se dedicam a contar histórias para crianças e adolescentes hospitalizados, visando transformar a internação hospitalar num momento mais alegre, agradável e terapêutico, além de contribuir para a humanização da saúde, causa da entidade. Hoje, além dos 1.357 fazedores e contadores de histórias voluntários, que visitam regularmente 90 hospitais em todo o Brasil, a Associação conta com o apoio das empresas UOL, Volvo, Pfizer, Nadir Figueiredo, Safran, Mahle Metal Leve, Instituto Pensi e Instituto Helena Florisbal.

Mais informações à imprensa:
LF Comunicação Corporativa
Renata Rosa - assessoria02@luciafaria.com.br


Telefones: 55 (11) 3277-8891 ramal 20 - (11) 99446-0970

Fábricas de Cultura retomam parte do atendimento presencial para aprendizes matriculados no Programa

 










Pela esquerda, a Fábrica de Cultura Brasilândia, e à direita, a Fábrica de Cultura Capão Redondo. Fotos: André Hoff

Olá, boa tarde.
Após sete meses realizando toda a programação de forma virtual, as Fábricas de Cultura (Jaçanã, Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Capão Redondo e Jardim São Luís) retomam parte das suas atividades presenciais no dia 27 de outubro. O retorno se dará por conta da chegada da capital paulista na fase verde apontada pelo Plano São Paulo de controle da pandemia e seguirá o protocolo estabelecido pela Prefeitura de São Paulo.
Essas unidades passam a funcionar de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, apenas para parte das atividades formativas e seus aprendizes matriculados. Já as bibliotecas ficarão abertas das 10h às 16h, priorizando a devolução e renovação do empréstimo de livros. Mais informações sobre esses e demais serviços oferecidos (Fábrica Aberta e Núcleo Luz) estão apontadas ao longo do release no corpo do e-mail.

Fotos das Fábricas da zona norte e sul de São Paulo, e de ensaios de turmas do projeto Núcleo Luz, com respectivos créditos nas nomenclaturas, estão aqui: http://we.tl/t-SA7NRiQIbl. Download grátis e disponível por 7 dias.

Caso necessite falar com porta-voz do Programa e/ou mais informações, fique à vontade para solicitar.
Por telefone, eu estou no cel. (11) 99717-5098.

Obrigada.
Abs.

Fábricas de Cultura retomam parte do atendimento presencial para aprendizes matriculados no Programa

A partir do dia 27/10, parte das atividades serão retomadas. Unidade de Diadema ainda não será aberta, pois aguarda autorização da Prefeitura da cidade

Após sete meses realizando toda a programação de forma virtual, as Fábricas de Cultura (Jaçanã, Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Capão Redondo e Jardim São Luís) retomam parte das suas atividades presenciais no dia 27 de outubro. O retorno se dará por conta da chegada da capital paulista na fase verde apontada pelo Plano São Paulo de controle da pandemia e seguirá o rigoroso protocolo estabelecido pela Prefeitura de São Paulo, publicado no dia 03/10 ( portaria PREF. 1041 de 02/10/2020 - Decreto nº 59.815 ).

As Fábricas de Cultura Jaçanã, Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Capão Redondo e Jardim São Luís, gerenciadas pela Poiesis e que integram um Programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, passam a funcionar de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, apenas para parte das atividades formativas e seus aprendizes matriculados. Já as bibliotecas ficarão abertas das 10h às 16h, priorizando a devolução e renovação do empréstimo de livros. Mais informações sobre esses e demais serviços oferecidos (Fábrica Aberta e Núcleo Luz) estão apontadas ao longo do texto.

Inicialmente, as unidades da zona norte e sul de São Paulo serão abertas somente para turmas já matriculadas e frequentes de parte dos Ateliês de criação e Trilhas de produção, com redução nos números de aprendizes presenciais e na duração das aulas, distribuídas pelos períodos da manhã e tarde. Pelo site http://www.fabricasdecultura.org.br/index.php?t=i, redes sociais do Programa ou via telefone de cada unidade, o público consegue obter mais informações sobre os serviços disponíveis, as novas medidas que devem ser respeitadas e tirar dúvidas.

Medidas adotadas

Durante as duas semanas que antecedem a retomada presencial (27/10), as cinco unidades distribuídas pelas regiões norte e sul de São Paulo passam pelo processo de limpeza, de desinfecção, recebem os equipamentos e materiais de higienização direcionados às equipes de trabalho e frequentadores, entre eles, totens pedal com álcool gel 70% e avaliação da temperatura corporal por termômetro digital na entrada, além de álcool gel 70% dispostos em diversos ambientes e vias de circulação.

O uso da máscara de proteção facial cobrindo nariz e boca, descrita no decreto nº 64.959, de 4 de maio de 2020 , segue obrigatório para todas as pessoas, inclusive durante todo o tempo que permanecem nas Fábricas de Cultura. A distância entre todos os indivíduos presentes nas unidades deve ser de pelo menos 1,5m. Maior proximidade poderá ser mantida entre frequentadores que convivem juntos, na mesma casa, com no máximo seis pessoas em cada um desses grupos.

Elevadores serão liberados apenas para pessoas com deficiências físicas e com mobilidade reduzida. Lixos para máscaras descartáveis estarão disponíveis.

Caso o público e funcionários apresentem febre leve igual ou superior a 37,5ºC ( 37,5°C), um dos sintomas que sinaliza a presença da Covid-19, não poderão entrar no local e serão orientados a buscar uma unidade de saúde. Os funcionários que apresentarem os demais sintomas, como tosse, coriza, dificuldade respiratória ou dor de garganta serão considerados suspeitos infectados, sendo afastados por 15 dias contados a partir do primeiro dia de sintoma, retornando após os sintomas cessados ou com o resultado negativo do exame. Funcionários com doenças inclusas nos grupos de risco poderão manter trabalho no sistema home office.

Com o objetivo de assegurar a saúde dos trabalhadores e dos frequentadores, combatendo a proliferação da Covid-19, as equipes de funcionários recebem treinamento para esclarecimentos sobre o cuidado próprio e da aplicação das novas práticas de atendimento ao público. Os frequentadores também contarão com informativos em cartazes e sinalização em pisos e paredes que irão reforçar as vias e ordens de passagens disponíveis, com fluxos separados de entrada e saída. Atividades que ocorram em áreas bem ventiladas e ao ar livre serão priorizadas para as aulas dos Ateliês e Trilhas no início da reabertura.

Tanto os cômodos ocupados pelas equipes de trabalho das unidades, bem como os banheiros e as áreas comuns, inclusive os ambientes de aula, serão desinfetados após a passagem dos grupos de aprendizes. Além do uso de máscaras de proteção facial pelas equipes de trabalho, os plantões de retorno físico aos espaços estão sendo avaliados cuidadosamente, caso a caso, de acordo com o tipo de serviço realizado. Para respeitar a segurança e o bem-estar dos funcionários considerados no grupo de risco, é estabelecido também o plantão em home office.

A partir do dia 27 de outubro:

Ateliês de criação e Trilhas de produção

Será feito o controle de entrada dos aprendizes dos Ateliês de criação e Trilhas de produção, divididos em grupos menores do que o total de matriculados em cada turma, por meio de escala de aulas nos períodos da manhã e tarde, entre terça e sexta-feira, com frequências alternadas nas semanas. O número de atividades e de aprendizes em cada unidade das Fábricas de Cultura estará restrito, além dos ambientes para as aulas devidamente organizados para evitar aglomeração. As áreas abertas e ao ar livre como gramado, marquise e estacionamento terão prioridade de uso por poder comportar até 15 pessoas em uma atividade dentro das regras de distanciamento.

Serão priorizados os aprendizes que estão presentes nas atividades on-line e que desejam continuar de forma presencial. Os menores de 18 anos terão os responsáveis consultados e com autorização preenchida pelos mesmos. Os demais aprendizes continuam remotamente, como está sendo praticado, até a possibilidade autorizada de maior flexibilização. Todos serão informados previamente pela área artístico-pedagógica das Fábricas de Cultura.

As durações das aulas presenciais seguem de modo reduzido, até 1h30, e o lanche será distribuído para consumo em casa. Entre as linguagens trabalhadas pelos Ateliês e Trilhas está a música, teatro, circo, dança, artes visuais, xilogravura, cinema, literatura e economia criativa.

Bibliotecas

As bibliotecas ficarão abertas de terça a sexta-feira, das 10h às 16h. Aos finais de semana esse espaço estará fechado. Na primeira semana, entre os dias 27/10 e 30/10, o atendimento será focado nos frequentadores que precisam devolver os livros retirados, com a possibilidade de renovar o pedido de empréstimo. Não será permitida a circulação nos espaços dos acervos, dessa forma a equipe de trabalho poderá auxiliar na seleção e escolha do título desejado, além de fazer mediações para evitar aglomeração. O tempo de empréstimo aumentará, com a possibilidade de ficar com dois livros por até 30 dias.

A partir do dia 3 de novembro as bibliotecas retornam com o laboratório de pesquisa disponível no período máximo de 45 minutos para cada pessoa interessada. Nesse espaço, os computadores estarão organizados com a distância de 1,5m.

Jornais e revistas não serão disponibilizados pelas bibliotecas das Fábricas de Cultura, para reduzir o manuseio desses materiais pelo acervo. Já a programação lúdica, que visa incentivar a leitura dos frequentadores de diversas idades, será mantida de modo on-line pelas plataformas digitais do Programa ( YouTube, FacebookInstagram SoundCloud).

Fábrica Aberta

Fábrica Aberta, que oferece uma agenda focada na difusão e fruição artística cultural das Fábricas de Cultura, segue com veiculação em ambiente 100% on-line via plataformas digitais do programa, com 50% das apresentações gravadas nas unidades sem a presença de plateia e 50% gravadas em locais por terceiros contratados.

Shows musicais, apresentações teatrais, exposições e saraus são algumas das diversas atrações mantidas na programação da área Fábrica Aberta.

As atividades de Cessão de Espaço para artistas, solos e grupos, que precisam ensaiar e desenvolver seus projetos, estão sendo avaliadas localmente com os grupos que já frequentavam as unidades. Haverá a adaptação para áreas abertas e deverão ser seguidas as recomendações dos órgãos de saúde. Em caso de dúvidas, pessoas interessadas por esse serviço poderão entrar em contato via telefone de cada unidade, pelas redes sociais do Programa ou por e-mail no contato@fabricasdecultura.org.br.

Por medidas de segurança, as atividades nos Estúdios de gravação também serão oferecidas de forma reduzida e controlada sem a presença de público. Grupos que utilizavam esse serviço serão contatados pela equipe de Articulação e Difusão a partir do mês de novembro.

Núcleo Luz

O retorno presencial da equipe de trabalho do Núcleo Luz para o prédio localizado no bairro Bom Retiro, em São Paulo, ocorre a partir de 19 de outubro, de forma escalonada e com horários flexíveis, mantendo parte do trabalho no sistema home office. Sexta-feira será o dia voltado para a manutenção da higienização completa do local.

O Núcleo Luz é um projeto artístico-pedagógico gratuito e parte do programa Fábricas de Cultura, com a linguagem da dança como instrumento de transformação social. É um espaço de oportunidade para jovens de baixa renda da região metropolitana de São Paulo vivenciarem aulas de corpo, atividades teórico-reflexivas e processos criativos em interface com outras linguagens artísticas.

Por meio do projeto, os aprendizes também participam de ensaios coreográficos, mostras experimentais e espetáculos apresentados gratuitamente em diversos espaços culturais. Veja como os cursos seguem a partir de novembro:

Ciclo I e Oficina

Os 55 jovens do Ciclo I e os 40 da Oficina continuam com as atividades exclusivamente virtuais esse ano.

Ciclo II

Os 32 jovens do Ciclo II retornam ao prédio a partir do dia 3 de novembro, divididos em grupos de 8 aprendizes por período (manhã/tarde), sendo quatro deles na sala maior e dois nas salas menores, para que tudo siga em segurança.

A atividade presencial será a Prática Coreográfica, de segunda a quinta-feira, em horários alternados. As demais disciplinas seguirão no formato on-line. Uma limpeza rigorosa pela manhã (antes do início das aulas) e no horário do almoço (antes da 2ª turma) será aplicada no prédio.

--------------------------------------------------

A agenda de difusão e fruição cultural, artística e educativa das áreas Fábrica Aberta e Bibliotecas é mantida 100% on-line por plataformas virtuais do Programa: YouTube FacebookInstagram e SoundCloud. Toda a programação on-line está disponível em http://poiesis.org.br/maiscultura/Para mais informações sobre os serviços e novas medidas de atendimento, acesse o site http://www.fabricasdecultura.org.br/index.php?t=i.

SERVIÇO:

Funcionamento das Fábricas de Cultura das zonas norte e sul da cidade de São Paulo a partir de 27/10:

Terça a sexta-feira, das 9h às 17h, apenas para aprendizes matriculados em parte dos Ateliês e Trilhas que iniciarão presencialmente.


Bibliotecas estarão abertas entre terça e sexta-feira, das 10h às 16h, especificamente para devolução e renovação do empréstimo de livros.

A partir do dia 3 de novembro, retornam também com o laboratório de pesquisa com computadores organizados na distância de 1,5m, além de ficar disponível no período máximo de 45 minutos para cada pessoa interessada.




Fábrica de Cultura Brasilândia
Avenida General Penha Brasil, 2508 | Telefone: (11) 3859-2300
Fábrica de Cultura Capão Redondo
Rua Bacia de São Francisco, s/n | Telefone: (11) 5822-5240
Fábrica de Cultura Jaçanã
Entrada 1: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138 | Entrada 2: Rua Albuquerque de Almeida, 360 | Telefone: (11) 2249-8010
Fábrica de Cultura Jardim São Luís
Rua Antônio Ramos Rosa, 651 | Telefone: (11) 5510-5530
Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha
Rua Franklin do Amaral, 1575 | Telefone: (11) 2233-9270

Acessibilidade: as Fábricas de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Jaçanã, Capão Redondo, Jardim São Luís e Diadema oferecem rampa de acesso para pessoas com mobilidade reduzida, elevador, sanitários acessíveis, piso táctil, equipamentos que permitem a leitura para pessoas com deficiência visual e motora, impressoras braile, leitor de audiobooks e acervo com mais de 110 exemplares em braille (livros e áudio-books).

SOBRE AS FÁBRICAS DE CULTURA
As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que disponibilizam diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Nas unidades você encontrará cursos, atividades, bibliotecas e estúdios de gravação. Em 2020, o Programa Fábricas de Cultura - instituições da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, gerenciadas pela Poiesis - conta com o patrocínio do Instituto Center Norte por meio da Lei Rouanet. O apoio contribui para a realização de atividades de formação e difusão cultural.

SOBRE A POIESIS
A Poiesis - Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Poiesis - Coordenação de Comunicação
Carla Regina | (11) 4096-9827 | carlaregina@poiesis.org.br
Assessoria de Imprensa
Jariza Rugiano | (11) 4096-9810 | jarizarugiano@poiesis.org.br
Luiza Lorenzetti | (11) 4096-9852 | luizalorenzetti@poiesis.org.br
Assessoria de imprensa - Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado
Davi Franzon - (11) 3339-8243/ (11) 9-3411-6428