Pesquise

Translate

quarta-feira, 5 de maio de 2021

Oxi-sanitização automotiva Interozone elimina 99,99% do corona vírus

 Oxi-sanitização automotiva Interozone elimina 99,99% do corona vírus, segundo Instituto de Biologia da Unicamp



Laudo de pesquisa feita na Unicamp comprova máxima eficiência nos aparelhos que fazem aplicação veicular de ozônio


O que já se sabia foi reforçado: a Interozone, que é autoridade em tecnologia na produção de aparelhos geradores de ozônio, possui equipamentos que eliminam, comprovadamente, 99,99% do corona vírus do ar ambiente do habitáculo do veículo.

Um teste feito pelo Instituto de Biologia da Unicamp acaba de comprovar, novamente, a eficiência dos dois aparelhos de oxi-sanitização veicular da Interozone contra o SARS-CoV-2. O estudo afirma que houve inativação de 99,99% da contaminação viral, e desta forma, conclui que os Equipamentos testados foram eficazes na destruição do vírus no tempo de 30 minutos, que é o tempo regular da geração do gás: 3 de aquecimento + 27 de aplicação e sem a presença de pessoas ou animais. Os ensaios foram realizados em laboratório NB-2 (Biosafety Level 2) seguindo as recomendações da ANVISA obedecendo as Boas Práticas de Laboratório-BPL, metodologias descritas nas normas.

O ozônio gerado pelos aparelhos da Interozone é um poderoso germicida, bactericida, fungicida, além de eliminar maus odores, previne o contágio por doenças, como gripe, pneumonia, tuberculose, além de combater os processos alérgicos respiratórios. A oxi-sanitização é um processo que não usa nenhum tipo de produto químico. Quando o sistema é acionado, todo o ar presente no ambiente entra no aparelho e as partículas de oxigênio (O2) são quebradas e transformadas em Ozônio (O3).

O sistema de oxi-sanitização da Interozone está presente também em supermercados e diversos shoppings e espaços comerciais, como cinemas e teatro. Pode ser aplicado em diferentes ambientes: residencial, comercial, veicular, em tratamentos médicos específicos e até mesmo em capacetes.

"A Interozone é pioneira em oxi-sanitização veicular, com processo de aplicação patenteado e equipamento homologado nas principais montadoras do país. A empresa está sempre em busca da melhor tecnologia para a máxima eficiência em seus produtos, agora temos além da acreditação da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e Ministério da Agricultura e Abastecimento e Ministério do Trabalho e Emprego, a comprovação da eficiência do equipamento e do processo de oxi-sanitização chancelados pela UNICAMP", comenta Nivaldo Benazzi, proprietário da empresa.

Para saber mais sobre a Oxi-Sanitização Veicular Interozone clique aqui


Sobre a Interozone
É empresa pioneira e referência no tratamento do ar ambiente com o uso do ozônio, tendo iniciado suas atividades em 2001. Os equipamentos promovem um serviço inovador que tem a capacidade de neutralizar microrganismos e maus odores de qualquer ambiente.
Atua produzindo e entregando soluções em oxi-sanitização também em diversos segmentos de mercado como o veicular, de hotelaria, supermercados, hospitais, armazenamento e processamento de alimentos. Seus produtos se enquadram no segmento dos ecologicamente corretos.


Para contato com a Interozone
Responsável: Mariana Duarte (MTB 58.192)
mariana.duarte@insighttrade.com.br

terça-feira, 4 de maio de 2021

Plataforma Sesc Digital reúne conteúdo inédito de exposições realizadas pela instituição

 Plataforma Sesc Digital reúne conteúdo inédito de

exposições realizadas pela instituição

Público pode acessar vídeos que simulam visitas mediadas por curadores e artistas, fotos, catálogos e publicações educativas das mostras exibidas pelo Sesc São Paulo, como Kader Attia: Irreparáveis Reparos (Sesc Pompeia), Transbordar: Transgressões do Bordado na Arte (Sesc Pinheiros) e a 15ª Bienal Näifs do Brasil (Sesc Piracicaba)

Imagens para divulgação: https://flic.kr/s/aHsmVtezD5

Reproduções fotográficas de obras, vídeos com percursos pelos espaços expositivos em que o espectador é acompanhado de artistas, a curadoria ou o educativo, visita virtual 360˚, catálogos e materiais educativos são alguns dos conteúdos de artes visuais disponíveis na Plataforma Sesc Digital, em uma iniciativa do Sesc São Paulo que oferece ao público uma maneira nova e democrática de acessar, de forma virtual, materiais das mostras exibidas nas unidades da instituição. São registros criados com o objetivo de complementar a experiência dessas mostras, que ficam disponíveis na plataforma , regularmente abastecida com conteúdos exclusivos.

São vídeos, fotos, reproduções de obras e publicações tanto de exposições que estavam em cartaz nos últimos meses - e cujo acesso teve alcance restrito, em função das medidas de combate à Covid-19 - quanto de mostras realizadas em outros anos.

"A plataforma Sesc Digital é uma iniciativa que vai ao encontro do nosso objetivo de democratizar o acesso à cultura ao maior número de pessoas. Com este projeto, gestado antes da pandemia eclodir, o Sesc traz conteúdos que permitem que o público se aprofunde também nos temas abordados nas exposições", explica Danilo dos Santos Miranda, diretor geral do Sesc São Paulo .

Entre as mostras mais recentes contempladas no Sesc Digital, destacam-se Transbordar: Transgressões do Bordado na Arte (Sesc Pinheiros), 15ª Bienal Naïfs do Brasil (Sesc Piracicaba), Pasteur, o Cientista (Sesc Interlagos)FARSA: Língua, fratura, ficção: Brasil-Portugal (Sesc Pompeia).

No dia 1º de maio, foi lançado, ainda, um vídeo-passeio pela exposição Kader Attia - Irreparáveis Reparos, que esteve em cartaz no Sesc Pompeia até o início desse ano. O percurso audiovisual é acompanhado de comentários e observações da curadora Carolin Köchling e do artista - recentemente indicado curador da próxima Bienal de Berlim - gravados especialmente para essa produção. O vídeo contempla todas as obras que estiveram expostas na mostra e traz uma experiência imersiva por meio do movimento orgânico da câmera pelos espaços.

Também em 1º de maio, houve o lançamento do curta Olhares Imaginados, que traz a itinerância da 21ª Bienal de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil 'Comunidades Imaginadas' pelo olhar de cinco moradores de distintas regiões de Campinas, onde a mostra esteve em cartaz até fevereiro deste ano. Suas impressões e opiniões se misturam e tecem um ponto de vista sobre a exposição e os temas abordados por ela.

Entre as produções audiovisuais já disponíveis de mostras recentes, que tiveram a visitação presencial restrita pela pandemia, destaca-se também uma série a partir dos conteúdos lúdicos de Perambular (Sesc Carmo); e vídeos-passeio por: GOLD - Mina de Ouro Serra Pelada em sua montagem no Sesc Birigui, com participação de Sebastião Salgado e a curadora Lélia Wanick Salgado; FARSA, no Sesc Pompeia, com as curadoras Marta Mestre e Pollyana Quintella (adjunta)My Name Is IVALD GRANATO Eu Sou, com o curador Daniel Rangel, no Sesc Guarulhos; e Pasteur, o Cientista, no Sesc Interlagos, mostra realizada em parceria com a Universcience - órgão do Ministério da Cultura da França..

Sobre as mostras realizadas já há alguns anos, há uma série de oito vídeos que abordam as diferentes obras da exposição Entrevendo - Cildo Meireles (Sesc Pompeia) e conteúdos em diferentes formatos de: Todo Poder ao Povo! Emory Douglas e os Panteras Negras (Sesc Pinheiros); Xilo: Corpo e Paisagem (Sesc Guarulhos); Levantes (Sesc Pinheiros); À Nordeste (Sesc 24 de Maio); Variações do Corpo Selvagem: Eduardo Viveiros de Castro, fotógrafo (Sesc Ipiranga); e as publicações da última edição da Bienal de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil.A plataforma também disponibiliza entrevistas, registros de encontros e performances do projeto Terra Comunal - Marina Abramovic + MAI, realizado em 2015 no Sesc Pompeia.

Serviço:

Sesc Digital
Para mais informações, acesse: https://www.sescsp.org.br/exposicoes


Informações para imprensa:
a4&holofote comunicação

sábado, 1 de maio de 2021

Superbom anuncia expansão na linha de carnes vegetais

 

Superbom anuncia expansão na linha de carnes vegetais

Considerada um dos principais players do segmento de alimentação saudável, empresa amplia seu portfólio de produtos com as novidades Carne Moída e Almôndega.

Reprodução: Superbom

Com mais de 90 anos de mercado a Superbom , empresa pioneira na produção de alimentos saudáveis, não para de crescer e inovar para atender as demandas de seus exigentes consumidores. Recentemente anunciou dois lançamentos na linha de carnes vegetais, ampliando a variedade na escolha dos adeptos a uma refeição plant based. Os novos itens: a Carne Moída e Almôndega, além de muito saborosos, são enriquecidos com vitaminas A, B9, B12, ferro e zinco, além de ter um excelente controle de sódio e gordura.

As novidades chegam para incrementar as vendas de uma linha que, desde o último ano, cresceu 35% nas produções da Superbom. Segundo David Oliveira, Diretor de Marketig da marca, o objetivo deste lançamento é deixar o portfólio da empresa ainda mais completo, com opções práticas e saborosas para qualquer momento do dia. "Nossos novos produtos nascem com a expertise de cinco décadas de tradição, trazendo a melhor combinação de ingredientes extremamente saudáveis, que oferecem sabor, textura e aroma parecidos com o de proteína animal, mas com uma tabela nutricional inigualável", afirma o executivo.

Uma pesquisa divulgada recentemente pela Transparency Market Research apontou que o aumento da popularidade das proteínas de origem vegetal vem acontecendo com cada vez mais força. Atenta a isso, a Superbom tem investido pesado na ampliação das linhas de produção e distribuição de produtos à base de proteína vegetal. "Somando todas as iniciativas, a meta é que, nos próximos anos, essa categoria corresponda a 40% do faturamento da companhia. Além disso, muito em breve inovaremos com produtos inéditos", acrescenta David Oliveira.

Para a preparação dos novos produtos, a empresa realizou reformulações na produção e na linha de fabricação. Segundo o diretor de marketing, houve novos investimentos na planta industrial e em equipamentos, que garantem uma performance ainda maior na capacidade produtiva da fábrica. Nas formulações até 2020 a carga proteica prioritária era advinda da ervilha. Este ano todo o mix foi revisado e cada produto recebeu a proteína vegetal ideal para sua textura.

Sempre a frente do seu tempo, a Superbom se mantém antenada nas atualizações do mercado oferecendo diversas opções para facilitar o dia a dia de seus consumidores. "Todos os nossos lançamentos são baseados em pesquisas consistentes, com o objetivo de ampliar ao máximo a assertividade do produto. Desde a formulação, ao preço e identidade visual, tudo é posto à prova, gerando sucesso em cada novidade", finaliza David.

Os novos produtos já estão disponíveis em alguns pontos de venda. Para encontrar um estabelecimento acesse http://bit.ly/3fTpLk8

Confira abaixo a descrição dos novos produtos:

Carne Moída

A Carne Moída de Soja da Superbom tem sabor, aroma e textura similar à carne moída animal. Porém, seus ingredientes são naturais e 100% vegetais. Ela é rica em vitamina B12 e uma ótima fonte de zinco, ferro, vitamina B9, vitamina A e proteínas.

Almôndegas


A Almôndega Vegana da Superbom é perfeita para quem juntar nutrição, sabor e praticidade. Embora seja feita com ingredientes naturais, ela vai te surpreender por ter aroma, sabor e textura parecidos com a sua versão em carne animal. Ela é rica em vitamina B12 e uma ótima fonte de zinco, ferro, vitamina B9, vitamina A e proteínas.

Sobre a Superbom

A Superbom é uma empresa alimentícia, que trabalha com uma linha de produtos saudáveis, que abrange sucos, geleias, salsichas, proteínas, pratos prontos, entre outros. Fundada em 1925, a Superbom comercializa os seus produtos em mais de 25 mil pontos de vendas em todo país. Em função disso, é considerada uma das principais empresas do ramo de alimentos para veganos e vegetarianos do Brasil. A empresa iniciou as suas atividades com a produção de suco de uva, no interior de uma antiga casa pertencente ao Colégio Adventista Brasileiro (CAB), que posteriormente ficou conhecido como Instituto Adventista de Ensino e, hoje, abriga o Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp-SP). Durante toda a sua história, a empresa atua diretamente ligada à Igreja Adventista do Sétimo Dia. Atualmente, a companhia conta com 250 colaboradores, entre a sede e as duas plantas da indústria (localizadas em São Paulo, capital, e em Lebon Régis, Santa Catarina).

YouTube sobre educação emocional

 


Alessandro Bomfim, sócio fundador da maior rede de escolas de games e arte digital do Brasil, lança canal no YouTube sobre educação emocional

Por meio de relatos pessoais, canal EVO Constante pretende inspirar e mostrar como o autoconhecimento é fundamental para a mudança de vida; primeiro vídeo - "Abri mão da minha herança" vai ao ar neste sábado,1/5, às 12 horas

São Paulo, 30 de abril de 2021 - Alessandro Bomfim tem 44 anos e uma história digna de roteiro de cinema. Nascido em uma família humilde de Pojuca, interior da Bahia, foi criado pela avó até 7 anos e era uma criança feliz. Depois, entre padrastos e madrastas, passou por maus tratos e aos 17 foi tentar a vida no Rio de Janeiro, como cantor de funk. Dormiu em bancos de rodoviária, fez dezenas de bicos, acabou como panfleteiro de uma escola de informática, a qual anos mais tarde compraria e transformaria em uma das maiores redes de ensino de games e artes digitais da América Latina: a SAGA, que, atualmente, conta com 16 unidades, em oito estados.

Bem-sucedido, aos 39 anos percebeu que precisava melhorar sua relação com os pais e descobriu seu propósito de vida: inspirar pessoas. "A maioria das pessoas prefere enterrar o passado e esconder as cicatrizes dentro de si", diz Alessandro. Nos últimos anos, fez constelação familiar para resolver problemas antigos de relacionamento com os pais, terapia de vidas passadas, terapia holística, terapia do consciente e sub consciente, adotou a prática do mindfulness e mudou radicalmente a alimentação, tornando-se vegano.

Para narrar toda essa trajetória e motivar as pessoas a buscarem o autoconhecimento ele dá mais um passo e lança o canal EVO Constante, no YouTube. O primeiro vídeo, "Abri mão da minha herança", vai ao ar neste sábado (1/5), às 12h, e dará um panorama geral da sua biografia. "A evolução é constante e crescente e é sobre isso que vou falar. O propósito do projeto não é ensinar nada para ninguém. Vou apresentar um problema real e pessoal, mostrar minha jornada nessa situação, como resolvi e como venci. As pessoas têm livre arbítrio para decidir o que vão fazer de suas vidas, mas a partir de outras experiências podem enxergar e seguir caminhos menos sofridos", completa.

O canal de autoconhecimento e evolução pessoal terá dois vídeos semanais, com duração máxima de 14 minutos e o objetivo de promover reflexões. Às terças-feiras os vídeos serão motivacionais e às quintas-feiras emocionais. Os conteúdos terão um caráter prático e serão baseados em passagens e dificuldades de sua trajetória pessoal, profissional e familiar.

Com vídeos anacrônicos, ele conta, por exemplo, as dificuldades da infância, como a constelação familiar foi determinante para ‘curar’ sua relação com os pais, como um desenho da sua filha, Valentina, quando tinha 3 anos, o ajudou na decisão mais importante de sua vida, a relação especial com os videogames etc. Numa segunda etapa, os vídeos devem contar com a participação de convidados, especialistas, terapeutas, psicólogos e trazer diversas histórias de superação.

O canal do YouTube é o primeiro passo de um projeto ousado. "Inteligência emocional, valores de nutrição, meditação e felicidade são assuntos que deveriam estar na grade curricular de todas as escolas, assim como Português, Matemática e Ciências. Conhecer seus comportamentos, gatilhos, medos e traumas intimamente é fundamental para nos tornarmos responsáveis por uma vida mais feliz e consciente. Eu aprendi que não é o que te acontece, mas como você reage ao que te acontece", conclui Alessandro.

Informações para a imprensa:

O menino que vendia pães, sonhou ser empresário, mergulhou fundo na iGUi e hoje é franqueado

 

Homem segurando uma placa na frente de um prédio

Descrição gerada automaticamente

 

Tiago Araújo começou a trabalhar aos 12 anos, ingressou na iGUi aos 22 e é franqueado em Brasília desde outubro do ano passado. “A melhor chance é o agora”, diz.

 

São Paulo, abril de 2021 – A iGUi – maior fabricante e comercializadora mundial de piscinas em poliéster reforçado com fibra de vidro (PRFV) – transformou a vida de Tiago Araújo. O menino paulistano aos 8 anos foi morar com a família na região rural da pequena Cedral. Sede da iGUi, vizinha a São José do Rio Preto, interior paulista, a cidade se tornou o lar da família onde o pai do menino havia conseguido uma oportunidade de trabalho.

Aos 12 anos, ao mudar para a área urbana de Cedral, Araújo começou a trabalhar. Foi vendedor de pães, mas pensava: “’O que dá dinheiro é ser executivo’, embora não soubesse exatamente o que eles faziam. Então, eu comecei a estudar tudo o que eu achava que um executivo fazia”, conta. Nutrindo seu sonho, trabalhou em diferentes empresas como ajudante geral, até entrar na mesma função na área fiscal em um escritório contábil aos 19 anos, dedicando-se a estudar em cursos afins. “Para ter alguma formação, afinal todas as empresas como a iGUi valorizavam as competências que um funcionário pudesse ter na função”, lembra.

Já tendo concluído diversos cursos nas áreas administrativa e financeira, após ser indicado por um amigo, Araújo enviou seu currículo e foi contratado pela iGUi em 2011, como assistente geral. “Desde sempre eu me propus a estudar muito. (...) Quando cheguei na iGUi aos 22 anos, eu já tinha cursos de Contabilidade 1, 2 e 3, ‘Adm’ 1, 2 e 3, Financeiro, Contas a Pagar... Ou seja, eu estava esperando uma chance como essa”, afirma.

Sete meses depois, o jovem colaborador já estava na área financeira da franqueadora, onde permaneceu por cinco anos. Mas Filipe Sisson, CEO da iGUi, visionário, enxergou um potencial em Araújo que ele sequer imaginava ter. “Você é um executivo de expansão e eu vou te provar”, teria dito Sisson ao colaborador na época.

E assim, mergulhando um pouco mais fundo na rede de piscinas, Araújo assumiu a função e foi bem-sucedido. O sonho de ser executivo se realizava e junto com ele, novas portas e ideais se abriam. Pouco tempo depois, aspirava sonhos mais profundos, visando a ser um empresário.

Repasse, Brasília e franquia por opção

Hoje com 31 anos, graduado em Administração de Empresas, Araújo é o franqueado iGUi em Brasília desde outubro do ano passado. A loja foi adquirida em repasse por escolha do próprio ex-executivo de expansão da iGUi. “Eu sabia que a franquia que eu vim assumir tinha um excelente retrospecto. Era um repasse, onde o franqueado anterior não estava saindo por questões de mercado como falta de resultados, mas simplesmente porque se cansou após mais de uma década no ramo. Sem contar que repasses de franquia podem ser uma excelente opção, afinal, se a marca está repassando significa que acredita no negócio, logo pode ser uma grande oportunidade”, ressalta.

A unidade de Brasília, existente desde 2008, surgiu como uma grande oportunidade para Araújo. Segundo ele, além do excelente retrospecto, a franquia está localizada em uma região estratégica ao negócio: “Eu já conhecia Brasília, havia vindo para uma feira de franquias (...) e juntou tudo: uma grande chance, uma grande capital, alto IDH, uma das melhores rendas per capita do País, no geral uma grande cidade para se viver e construir uma vida. Tem qualidade de vida de cidade do interior ou até melhor”, fala o paulistano que prefere cidades menores e encontrou na capital federal seu novo lar.

Atualmente, o novo franqueado iGUi conta com cinco colaboradores – gerente, técnico, vendedor e dois instaladores –, já está contratando mais um vendedor e nos próximos meses deverá ampliar a equipe. “Já tenho parceiros que contribuem para minha loja e no geral é tudo o que eu esperava do que é uma vida empresarial. Todos os sentimentos que vim atrás, encontrei. Já tenho uma equipe bacana, uma gerente de loja, já estou contratando vendedores, então, a loja está conseguindo cumprir o seu papel perante a sociedade brasiliense, que é devolver um pouco daquilo que ela nos dá: bons clientes. A loja está fazendo aquilo que deve, aquilo que eu vejo”, avalia.

Araújo observa que enquanto estava internamente na iGUi, via a franqueadora criar projetos e fazer investimentos para serem executados pelos franqueados e que agora vê os resultados. “Grande parte do que eles propõem acontece realmente para nós na ponta e é bastante gratificante”, afirma.

Mergulhando ainda mais fundo na iGUi, Araújo conta que empreender por meio de uma franquia também foi sua escolha. “Eu já tinha essa noção antes de ser empresário, mas hoje eu não me tornaria se não fosse uma franquia”, assegura. “Eu tenho muito suporte de todos os lados. O fato de você ter um problema e ter para quem ligar, faz toda a diferença entre você fechar uma venda ou perder um cliente”, assinala.

Ainda segundo o franqueado, ter um manual é muito importante e a UniGUi (universidade corporativa criada pela franqueadora em 2019), é fantástica. Seus funcionários foram treinados virtualmente devido à Covid-19 com toda eficácia. “Eles estão superbem orientados (...). É nessa hora que você vê a importância de ter uma franquia do que investir sozinho”, completa.

“A melhor chance é o agora”

Araújo revela que há cerca de cinco anos já nutria o desejo de empreender, mas a espera por um momento econômico mais propício do País o levava sempre a adiar a concretização do sonho. “Durante alguns anos da minha vida, eu sempre esperei uma melhor situação do País, uma virada política, econômica, Copa do Mundo, Olimpíadas... E a grande verdade é que ano após ano, desde que eu me lembro, o país tem uma pequena crise aqui, e uma parada aco. Ficamos sempre postergando esses desejos e ao mesmo tempo deixando morrer os sonhos”, observa.

O empreendedor que adquiriu seu negócio em plena pandemia, ressalta: “Vivemos esperando a melhor chance e a mensagem que eu posso passar é que a melhor chance é o agora”.

Araújo lembrou do bom desempenho da rede de piscinas na pandemia. Além de bater recordes de vendas por meses seguidos e registrar 103%  de crescimento em 2020, a iGUi integra o segmento de Casa e Construção, um dos que mais avançou nesse período. Segundo a Associação Brasileira de Franchising, a alta no faturamento foi de 25,6% no último tri do ano e de 12,8% em 2020. “Veja a iGUi na pandemia. É verdade que existem outros segmentos que não estão tendo o mesmo desempenho, mas a gente não pode desanimar. No fim, o quanto queremos, acreditamos e lutamos é o que determina o sucesso do negócio, não só o estado econômico”, defende. “Podemos nos reinventar e eu acho que é na dificuldade que crescemos”, afirma. “É triste, mas esse momento de pandemia infelizmente fechou muitas portas. Porém, ele vai passar e quando acontecer, todos que estiverem de pé viverão dias renovados no País: um novo comércio, novas ideias, novas oportunidades… São os resultados que ficam após momentos ruins como esse”, conclui.

 

Sobre a iGUi

 

A iGUi é a maior fabricante de piscinas em PRFV (poliéster reforçado com fibra de vidro) do mundo e está presente com indústrias (máster franquias) e lojas (franquias) em mais de 50 países. A rede iniciou suas atividades na cidade de Gravataí (região metropolitana de Porto Alegre), no Rio Grande do Sul, em junho de 1995. Em 2000, estabeleceu seu primeiro polo industrial fora da Região Sul, em Cedral, no interior de São Paulo. Em 2008, transferiu oficialmente sua sede para a cidade. Atualmente, com mais de 25 anos de mercado e muita inovação, é líder mundial no segmento de piscinas em PRFV, contando com mais de 900 unidades entre lojas de piscina e franquias TRATABEM no Brasil e exterior, nos cinco continentes. Com 40 fábricas estrategicamente instaladas no Brasil, Argentina, Paraguai, México, Portugal e Estados Unidos, a iGUi disputa os maiores e mais desenvolvidos mercados mundiais como os da Europa, Estados Unidos, Oriente Médio e Austrália.

A rede é Top Of Mind do segmento segundo o Datafolha, com mais de 1 milhão de acessos via web, e detém 89% das buscas de piscinas na internet, segundo o Google Brasil. Em muitas regiões, a iGUi é a única marca de piscinas conhecida. Tudo isso provado pela simples pergunta: “Qual marca de piscinas você conhece?”.

 

 

Informações para a Imprensa:

Larisa Oliveira – larisa@dfreire.com.br 
Regina Teixeira – regina@dfreire.com.br
Debora Freire – debora@dfreire.com.br
Tel.: (11) 5105-7171 – www.dfreire.com.br

Reforma Tributária e a sobrecarga do SUS - estamos preparados?


* Anderson Mendes

A pandemia afetou, de forma diferente, todos os setores da economia brasileira. Os planos de saúde que tiveram um declínio de procedimentos eletivos durante três meses em 2020, fecharam o ano com a menor sinistralidade dos últimos tempos. Importante destacar que esta é uma análise geral, mas não é a realidade de 100% das operadoras.

No entanto, o primeiro trimestre de 2021, se mostra como o maior período de custos de todos os tempos, isto se deve à realização de procedimentos eletivos que estavam represados no ano passado, somado ao grande volume de tratamento da Covid-19.

Diante desse cenário, principalmente para as empresas de autogestão que não têm fins lucrativos e sinistralidade elevada, uma adição de carga tributária seria um disparate. No momento em que as pessoas mais precisam do seu convênio médico, ter aumento nas mensalidades devido ao incremento de impostos, levariam esses beneficiários a terem mais dificuldades para honrar seus compromissos, podendo, inclusive, migrar para o SUS.

Este contrassenso tem nome: Reforma Tributária. E tramita no Congresso Nacional com pretensão de ser votada ainda este ano. Não. Não somos contra a PEC. É notório que o sistema tributário do Brasil precisa de uma reforma ampla, que vise, sobretudo, a simplificação tributária e a redução das obrigações acessórias, só que caso não haja mudança na lógica de contribuição para o nosso segmento, não teremos outra saída a não ser repassar a conta para o usuário. Simplesmente porque ela não fecha nas empresas de autogestão, tendo em vista que mais de 90% da arrecadação é investido diretamente na saúde dos beneficiários.

Ao criar a Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), unificando o PIS e a COFINS, o projeto determina que o tributo incidirá sobre operações com bens e serviços, em cima da receita bruta, com alíquota de 12% para empresas e de 5,8% para as operadoras de planos de assistência à saúde. No entanto, atualmente, o segmento de autogestão é isento de COFINS e, após a unificação dos impostos, com base nas informações públicas disponibilizadas pela diretoria de Normas e Habilitação das Operadoras (DIOPE) da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), o impacto será de R﹩ 179,9 milhões anuais, um aumento de 2.703% do custo atual, que é o recolhimento de 1% de PIS sobre a folha de salários.

As instituições que fazem a gestão da saúde dos seus próprios beneficiários não podem ter esse impacto e o mercado privado, que visa extrair lucro do setor, ter reajustes infinitamente menores. Se tratar os desiguais de forma igual é, no mínimo, uma injustiça, imagine onerar de forma majoritária o nosso segmento. Outro fator importante a ser levado em consideração é que as autogestões atendem hoje, servidores públicos, nas esferas nacional, estadual e municipal. Esse aumento será repassado para o usuário - que é o mais provável que aconteça e também poderá tornar a conta mais cara para o próprio poder público.

E não para por aí. As nossas filiadas prestam assistência a milhares de beneficiários acima de 65 anos - o maior percentual nessa faixa etária em todo setor de saúde suplementar - e supre lacunas que o mercado e o Estado não conseguem atender. Mantemos o foco em Atenção Primária, ações constantes de prevenção e promoção de saúde, e investimento compatível com a remuneração desses beneficiários. Sem plano, esse grupo dependeria exclusivamente dos serviços do SUS, sistema já sobrecarregado antes mesmo da pandemia.

A Comissão que trata da Reforma Tributária já foi alertada por nós, da UNIDAS - representante das autogestões no país - sobre os impactos da reforma não só para as autogestões, mas para todo Brasil. Não podemos tomar medidas que dificultem ainda mais a assistência à saúde de milhares de pessoas em um momento tão delicado. Já temos preocupações suficientes.

*Anderson Mendes é presidente da UNIDAS (União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde) e especialista em saúde há mais de 25 anos.

Informações para imprensa

sábado, 24 de abril de 2021

ALERTA ESPECIAL - ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O PRESIDENTE BOLSONARO | Ao Vivo



Presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, concede entrevista exclusiva para TV A Crítica no programa Alerta Especial, com o apresentador Sikera Jr. Assista a entrevista completa agora no canal: Se inscreva no Canal: http://bit.ly/yttvacritica Acompanhe a TV A Crítica no Youtube e nas redes sociais: Facebook: Instagram: http://bit.ly/igtvacritica Twitter: https://twitter.com/tvacritica

sexta-feira, 23 de abril de 2021

Mercado de alimentos sem glúten dispara e marcas apostam no setor para atender a grande demanda

 




Mercado de alimentos sem glúten dispara e marcas apostam no setor para atender a grande demanda

Por que as pessoas estão retirando o glúten das refeições?


Seja por conta de uma dieta restritiva, intolerância ou alergia, o número de pessoas que passaram a aderir uma alimentação livre de glúten nos últimos anos não para de crescer. De acordo com uma projeção da Zion Market Research, a demanda por esses produtos deve atingir a marca dos US$7,6 bilhões até 2024 em todo mundo.

De acordo com especialistas em nutrição, embora a exclusão do glúten da dieta seja recomendada para quem apresenta algum sintoma de alergia ou intolerância, muitas pessoas puderam sentir mudanças em seu organismo ao adotar esse novo hábito, como redução das inflamações causadas por doenças autoimunes, artrites e problemas intestinais, melhora do sistema digestivo, diminuição da fome e da compulsão alimentar, além da perda de peso, principalmente, por reduzir o consumo de produtos ultraprocessados. Esse bem-estar também se deve ao fato de que muitos não têm ciência do problema com essa proteína e ficam sabendo ao retirarem da dieta e buscarem, cada vez mais, hábitos saudáveis como novo estilo de vida.

Presente em alimentos que levam em sua composição a farinha de trigo, a aveia e a cevada, o glúten tem sido utilizado amplamente pela indústria até mesmo em produtos que naturalmente não o teriam, com o objetivo de melhorar o sabor e a textura.

Diante dessa nova demanda, muitas marcas têm desenvolvido produtos, como pães, biscoitos, doces, cervejas, entre outros, para os que não podem ou não querem manter essa proteína em sua alimentação. Um exemplo disso é a Josapar, detentora da marca Tio João. A empresa tem duas linhas completas de misturas para pães e bolos, livres de glúten, à base de farinha de arroz e ricas em sabor e saúde.

Na linha Padaria, o Tio João oferece tanto a farinha de arroz, para o preparo de pães, bolos e empanados, quanto as misturas para pão caseiro, pão multigrãos, massa de pizza e massa brisée.

A Mistura para Pão Multigrãos foi desenvolvida especialmente para quem não pode ou não deseja consumir glúten ou lactose em sua dieta. O produto é composto por farinha de arroz, amido de milho, fécula de mandioca, farinha de milho, linhaça, girassol, gergelim, chia, entre outros ingredientes. Pode ser encontrada no Armazém Tio João por R$9,74 a embalagem de 310g.

Já a Mistura para Massa Brisée, ideal para o fácil preparo de quiches e tortas salgadas, é composta basicamente por farinha de arroz e amido de milho. Também pode ser encontrada pelo Armazém Tio João, por R$9,77 a embalagem de 250g.

Para facilitar o preparo de bolos e sobremesas sem glúten, a linha Confeitaria Tio João oferece misturas para bolos nos sabores Chocolate, Baunilha e Laranja, além das sobremesas Brownie e Petit Gâteau.

A Mistura para Bolo Sabor Baunilha, por exemplo, combina praticidade e sabor. Leva em sua composição a farinha de arroz, totalmente livre de glúten. O preço do produto pelo Armazém Tio João é R$7,98 a embalagem de 270g.

Outro destaque é a Mistura para Brownie, receita que muitas pessoas têm dificuldade em reproduzir em casa devido ao modo de preparo detalhado. Além de agregar essa facilidade, por meio dessa mistura o Tio João permite que muitos possam experimentar a tradicional sobremesa norte-americana, totalmente sem glúten. O preço do produto pelo Armazém Tio João é R$8,98 a embalagem de 270g.


Para conferir esses e outros produtos da linha sem glúten Tio João, acesse: www.armazemtiojoao.com.br/busca?fq=spec_fct_18:Sem%20Gl%C3%BAten%20e%20Lactose#1

Sobre a Josapar
Com uma tradição de qualidade desde 1922 e líder nacional do mercado de arroz, a Josapar possui unidades industriais em Pelotas (RS), Recife (PE), Itaqui (RS), Campo Largo (PR) e Cristalina (GO), e conta com os mais modernos processos de produção. A empresa detém a Certificação FSSC 22000, uma norma internacional de segurança de alimentos reconhecida pela Global Food Safety Initiative (GFSI), para as principais unidades de arroz branco e arroz parboilizado. Além do tradicional Arroz Tio João, a Josapar está presente no mercado com o arroz e o feijão Meu Biju; com a linha SupraSoy, de alimentos em pó à base de proteína isolada de soja; com o Azeite Nova Oliva; e as marcas Soy+, Beleza, Exato, Tio Mingote e No Ponto.

Sobre o Armazém Tio João
Recentemente, a Josapar lançou o e-commerce Armazém Tio João, com todos os produtos das suas marcas, para se aproximar de seus consumidores e proporcionar mais vantagens: o cliente recebe 15% de desconto na primeira compra e participa de promoções semanais em todo o site. Para isso, basta acessar a plataforma Armazém Tio João.

Apeoesp realiza carreata em defesa da vida nesta sexta

 




Apeoesp realiza carreata em defesa da vida nesta sexta
Entidade defende a manutenção das aulas on-line em função da pandemia

A Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) realiza nesta sexta-feira, 23 de abril, carreata em defesa da vida e contra as aulas presenciais nas escolas em função da pandemia do novo coronavírus.

A carreata, que acontecerá a partir das 10h, partindo do MASP, na avenida Paulista, reunirá profissionais da educação de diversas regiões do Estado. O objetivo é mobilizar a sociedade e mostrar que, apesar de o governo estadual estabelecer a volta das aulas presenciais, os pais não estão enviando seus filhos às escolas. "Esse retorno só está servindo para colocar em risco a vida dos profissionais da Educação", alerta a presidenta da Apeoesp e deputada estadual, Professora Bebel (PT).

Ela reforça ainda que a sentença conquistada pela entidade em 9 de março, que proíbe a convocação dos professores nas fases laranja e vermelha do Plano São Paulo, está em vigor. Sendo assim, a entidade reforça que os professores, se forem convocados para qualquer atividade presencial nas escolas, devem informar por escrito que não comparecerão por conta dessa razão, e devem juntar cópia da sentença. O modelo de requerimento está disponível na página da Apeoesp: www.apeoesp.org.br, juntamente com a sentença.



Google removeu mais de 700 mil apps por violação de políticas da Google Play em 2020

 

Google removeu mais de 700 mil apps por violação de políticas da Google Play em 2020

Empresa anunciou que, no mesmo período, encerrou as contas de 119 mil desenvolvedores mal-intencionados ou que praticavam spam na plataforma

• Foram removidos mais de 709 mil aplicativos por violação de políticas da Google Play em 2020

• Cerca de 119 mil contas de desenvolvedores mal-intencionados ou que praticavam spam foram excluídas no período

• Mais de 962 mil apps em desacordo com as regras da Google Play foram identificados por modelos de aprendizado de máquina e, assim, impedidos de compor a loja de apps do Google

Oferecer uma experiência confiável e segura para bilhões de usuários e milhões de desenvolvedores Android sempre foi uma das principais prioridades da Google Play. Em 2020, o Google apresentou novas políticas e melhorou ainda mais os sistemas avançados na otimização de processos, com o objetivo de proteger usuários, dar suporte a bons desenvolvedores e reforçar proteções contra aplicativos e desenvolvedores mal-intencionados.

A Google Play Protect escaneou mais de 100 bilhões de aplicativos em busca de malwares, para aumentar a segurança das pessoas que frequentam a loja on-line em busca de ferramentas úteis e confiáveis para diversas finalidades, seja sobre informações a respeito da vacina de COVID-19 ou novas formas de entretenimento, delivery, comunicação e mais.

O Google adotou uma série de políticas e novas formas de suporte a desenvolvedores com o objetivo de aprimorar a qualidade das informações disponíveis na plataforma e reduzir o risco de prejudicar usuários com informações equivocadas ou enganosas.

• Políticas sobre COVID-19: Para garantir a segurança das pessoas e a integridade e privacidade das informações, a empresa apresentou orientações específicas para aplicativos relativos à COVID-19 . Essas políticas exigem que aplicativos relacionados a usos sensíveis, como apps com informações sobre testes, devem ser desenvolvidos por órgãos oficiais do governo ou por organizações do setor de saúde e devem atender aos mais altos padrões de privacidade sobre dados de usuários.

• Políticas sobre notícias: Com o objetivo de assegurar a transparência sobre a publicação de notícias, foram adotadas exigências mínimas que devem ser cumpridas pelos aplicativos para que sejam classificados na categoria "Notícias" do Google Play. São regras que ajudam a promover maior transparência e responsabilidade entre os desenvolvedores ao fornecer informações relevantes sobre o app aos usuários.

• Apoio a eleições: Também foram formadas equipes e processos na Google Play dedicados a eleições. O objetivo é oferecer apoio adicional e facilitar a adaptação a um cenário em constante mudança. Isso inclui mais apoio a órgãos do governo, pessoas treinadas especialmente para avaliar os aplicativos e um grupo de segurança para enfrentar situações de ameaça e abuso ao sistema eleitoral.

Investigação

O trabalho para identificar e mitigar aplicativos e desenvolvedores mal-intencionados também evoluiu para combater novos comportamentos prejudiciais e formas de abuso. A capacidade de detecção dos modelos de aprendizado de máquina e os processos aprimorados de avaliação de aplicativos resultaram na identificação de mais de 962 mil apps que descumpriam as regras.

Graças a esse trabalho, esses aplicativos nem chegaram a ser publicados no Google Play. Ao todo, 119 mil contas de desenvolvedores mal-intencionados ou que praticam spam foram excluídas, e mais de 709 mil aplicativos foram retirados por violarem as políticas da plataforma.

No ano passado, a empresa reduziu ainda mais o acesso de desenvolvedores a permissões sensíveis. Em fevereiro , houve o anúncio de uma nova política de localização em segundo plano para garantir que os aplicativos que solicitam essa permissão precisem justificar melhor o uso dos dados para fornecer um benefício claro ao usuário.

Como resultado da nova política, os desenvolvedores agora precisam demonstrar esse benefício e informar os usuários sobre ele de forma objetiva. Caso contrário, os apps podem ser removidos da Google Play. A norma começou a valer para aplicativos que não atendem às novas diretrizes e uma atualização sobre o uso dessa permissão será divulgada no Blog do Google, em breve.


Saiba mais no blog do Google Brasil .

Mais informações: imprensa@google.com e google@cdicom.com.br